home

Teletrabalho pode ser ‘game changer’ se soubermos aproveitar

Teletrabalho pode ser ‘game changer’ se soubermos aproveitar

A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, considera que este é “o momento crucial” para estabelecer novas regras para conciliar os interesses dos trabalhadores e dos empregadores. Falando na cimeira tecnológica Web Summit, em Lisboa, a governante referiu que a pandemia de Covid-19 “acelerou a necessidade de regular o que estava desregulado” e apontou que o regime de telebrabalho pode ser um ‘game changer’ se o soubermos aproveitar.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais

Notícia publicada por:

Ana Mendes Godinho

Na sua intervenção, Ana Mendes Godinho defendeu, ainda, a necessidade de criar “limites no nosso trabalho”, por forma a conseguir um melhor equilíbrio entre a vida familiar e profissional, pelo que, segundo garantiu, estão a ser desenvolvidas iniciativas nesse sentido, nomeadamente no âmbito da agenda do trabalho digno.

“A agenda do trabalho digno inclui várias coisas, nomeadamente, o reforço dos instrumentos da autoridade do trabalho, para que, por exemplo, possa ser capaz de cruzar a informação e ter mais instrumentos legais para trabalhar”, disse a governante.

Por sua vez, as alterações ao Código do Trabalho, aprovadas esta quinta-feira, na Assembleia da República, preveem que os empregadores se abstenham de contactar os trabalhadores durante o seu período de descanso, salvo razões de força maior.

“O empregador tem o dever de se abster de contactar o trabalhador no período de descanso, ressalvadas as situações de força maior”, refere a proposta do Partido Socialista, a qual foi discutida no seio do grupo de trabalho criado para discutir a regulamentação do teletrabalho.

A ministra defende que o teletrabalho tem potencialidades e vantagens que devem ser exploradas e desenvolvidas, assumindo-se como um “instrumento poderoso” que, devidamente potenciado, pode ser promotor de igualdade.

“Acredito que o teletrabalho pode ser utilizado como ‘game changer’ [ideia com um efeito transformador da sociedade], se aproveitarmos as vantagens e retirarmos as desvantagens”, disse Ana Mendes Godinho.

“Portugal é o melhor local para trabalhar e também para estar em teletrabalho”, concluiu, ainda, a ministra do Trabalho.

ARTIGOS RELACIONADOS