home

Região Autónoma dos Açores: “Governos da República do PS melhoraram as condições de vida das nossas famílias”

Região Autónoma dos Açores: “Governos da República do PS melhoraram as condições de vida das nossas famílias”

A candidata do Partido Socialista à Assembleia da República Isabel Almeida Rodrigues sublinhou esta quarta-feira, em Ponta Delgada, que foi com o PS “que as famílias açorianas e portuguesas puderam ver melhoradas as suas condições de vida”.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais
Isabel Almeida Rodrigues

Isabel Almeida Rodrigues, que falava no âmbito de uma visita ao Centro de Bem Estar Social do Livramento, recordou que “o Governo da República do PS, a partir de 2015, devolveu os rendimentos às pessoas, pondo fim aos cortes nas pensões e nos salários”, realçando a “importância de se continuar nos próximos quatro anos o trabalho que vinha a ser desenvolvido”.

“Foi o PS que devolveu a dignidade aos portugueses, apostando em políticas sociais orientadas para a conciliação entre a vida pessoal, profissional e familiar”, um trabalho a que o Partido Socialista pretende “dar continuidade na próxima legislatura”.

A candidata socialista frisou que em seis anos “o salário mínimo nacional registou a maior subida de sempre desde o 25 de Abril, aumentando em 40%, o que se traduziu num aumento sem precedentes do salário mínimo regional nos Açores, que passou de 530 euros em 2015, para 740 euros em 2022”.

Isabel Almeida Rodrigues lamentou que a esquerda e a direita se tenham “unido para rejeitar o Orçamento do Estado”, que “incluía medidas muito importantes de apoio à família, como a gratuitidade das creches ou a Garantia da Infância, que funcionará, caso o PS ganhe estas eleições, como um complemento ao abono de família”.

A candidata socialista lembrou, também, que “foi com uma medida do PS, a criação do IRS jovem, que os jovens viram reduzidos os seus encargos fiscais em 30%, nos seus primeiros três anos de atividade”, uma medida que “deverá ser alargada, conforme consta no programa eleitoral do Partido Socialista”.

“À semelhança daquilo que viemos a fazer, continuaremos a trabalhar para acentuar a progressividade do IRS e, por essa via, continuar a desagravar os impostos da classe média”, frisou.

Outra das propostas emblemáticas do PS, realçou, é o objetivo de “subir o salário mínimo até aos 900 euros em 2026, que se deve somar a outras medidas tomadas em sede de Concertação Social, de forma a valorizar os trabalhadores”.

“Foram os Governos da República liderados por António Costa, a partir de 2015, que permitiram melhorar a nossa qualidade de vida e é muito importante que este trabalho não seja interrompido, para que não voltemos àquilo que era Portugal antes de 2015, sob uma governação do PSD de Passos Coelho”, finalizou a candidata socialista.

ARTIGOS RELACIONADOS