home

PS realça “esforço” para garantir direito ao voto e salvaguarda da saúde pública

PS realça “esforço” para garantir direito ao voto e salvaguarda da saúde pública

O Secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, salientou esta quarta-feira “os esforços” do Governo para assegurar, por um lado, o exercício do “direito fundamental” ao voto e, por outro, a defesa e salvaguarda da saúde pública, reforçando o apelo a uma forte participação eleitoral no dia 30 de janeiro.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais
José Luís Carneiro

Falando no Porto, após a reunião do Infarmed que revelou os dados mais recentes sobre a evolução da situação epidemiológica em Portugal, José Luís Carneiro começou por destacar o sucesso da campanha de vacinação, que tem “garantido níveis de imunização que não apenas têm protegido as portuguesas e os portugueses”, como também “dá maior segurança” para enfrentar a nova variante predominante no território nacional.

O dirigente socialista realçou, também, que as medidas adoptadas para o período do Natal e do Ano Novo “produziram os seus efeitos”, na limitação de contactos, na deteção precoce e na eficácia do combate a esta nova vaga da pandemia, o que tem tradução, como assinalou, em indicadores importantes, como um “menor recurso aos cuidados hospitalares”, “menor número de óbitos” e uma “maior capacidade para dar resposta ao nível dos cuidados intensivos”.

Ainda de acordo com José Luís Carneiro, citando os dados epidemiológicos, “é previsível que até à segunda semana de janeiro os números de transmissibilidade venham a crescer de forma expressiva”, observando, contudo, que o crescimento do contágio, de acordo com os especialistas, não terá efeitos previsíveis no recurso aos cuidados intensivos.

“Em função destes dados, foi importante termos ouvido, das palavras do Sr. primeiro-ministro, que o Governo já tinha também solicitado à Direção-Geral da Saúde que pudesse avaliar os termos em que o isolamento e o confinamento profilático possam ocorrer” nas semanas que antecedem o ato eleitoral, apontou José Luís Carneiro.

Reiterando a confiança numa grande participação dos portugueses na eleição de 30 de janeiro, o Secretário-geral adjunto do PS destacou ainda as medidas também já anunciadas pelo Governo, de ampliação de mesas para o voto antecipado, assim como o parecer pedido à Procuradoria-Geral da República “para avaliar os termos em que pode compatibilizar”, por um lado, “o valor fundamental” do exercício do direito eleitoral e, por outro lado, “a salvaguarda e a segurança ao nível da saúde pública”.

ARTIGOS RELACIONADOS

Elza Pais

MS-ID: Um ano de mandato

No primeiro ano deste novo mandado das MS-ID – Avançar em Igualdade, foram dados passos significa...