home

PS avança com novas soluções para ajudar as famílias e as empresas açorianas

PS avança com novas soluções para ajudar as famílias e as empresas açorianas

O líder parlamentar dos socialistas dos Açores avançou, esta segunda-feira, com propostas do PS para ajudar as famílias e as empresas açorianas. Falando na abertura das Jornadas Parlamentares do PS/Açores, que decorrem na ilha Graciosa, Vasco Cordeiro destacou, entre as medidas propostas, a majoração em 30 euros do apoio criado pelo Governo da República para fazer face ao aumento do custo de bens alimentares para as famílias mais carenciadas, um apoio de 60 euros mensais, ou a “redução do Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP)”.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais
Vasco Cordeiro

Num momento em que se conclui a sessão legislativa, o presidente do GPPS/Açores realçou que “estes 2 anos demonstram que o Governo não está à altura das circunstâncias e das necessidades dos tempos que vivemos”.

O líder dos socialistas açorianos alertou para o “efeito explosivo” que pode ter o “aumento significativo da procura turística e do aumento das taxas de juro dos empréstimos” sobre a habitação, salientando que, se o PS fosse Governo, a sua solução passaria por “aumentar a intervenção e a capacidade do sistema de apoio às rendas apoiadas” e “aperfeiçoar as regras que regem a afetação de imóveis de habitação a usos turísticos”.

Vasco Cordeiro recordou que estamos a atravessar “uma conjuntura particularmente exigente para as famílias e as empresas”, frisando que “o que se exige ao Governo é capacidade, competência e liderança de precaver o mais possível os efeitos da conjuntura, o que está a acontecer e o que está para vir”.

“Este Governo deve estar concentrado e mobilizado a 100% não na sua própria sobrevivência política, mas sim em ajudar as famílias e as empresas açorianas a ultrapassar a situação que vivemos”, sublinhou.

Vasco Cordeiro salientou que o Governo Regional “deve liderar nas propostas” e “ser competente na concretização, proteger os que estão numa situação de maior fragilidade” e, acima de tudo, “governar para todos e não apenas para alguns”.

O presidente do Grupo Parlamentar alertou, depois, para “desafios urgentes que estão a ser menosprezados por este Governo”, designadamente o “aumento dos preços, dos custos, da inflação e das taxas de juro”, lembrando que, na discussão do Plano e Orçamento 2022, em novembro de 2021, o PS “alertou para a tempestade que se estava a formar e que ameaçava a recuperação económica da pandemia”.

“Nessa altura chamavam-nos alarmistas e pessimistas. Em março deste ano, já depois da invasão da Ucrânia, apresentámos várias propostas para ajudar famílias e empresas para combater o vertiginoso aumento de preços, chamaram-nos hipócritas e irresponsáveis. Esta semana, a quase um ano das propostas que apresentámos, o Governo vem dizer que está disponível para avaliar propostas dos parceiros sociais para lidar com a inflação”, apontou.

Vasco Cordeiro sublinhou que o Governo “acorda tarde e mal para o problema, defendendo que cabe ao executivo de Bolieiro propor soluções, liderar nas propostas e submetê-las à aprovação dos parceiros sociais e não ao contrário”.

O líder socialista açoriano realçou que um dos custos que mais pesa nas famílias e nas empresas é o combustível, lembrando que “em cerca de 1 ano, a gasolina aumentou mais de 35%, o gasóleo aumento mais de 55%, o gasóleo agrícola aumentou mais de 100% e o gasóleo pescas aumentou mais de 140%”.

“A execução do orçamento regional, até maio, segundo os dados do próprio Governo, revela que ele já recebeu cerca de 23 Milhões de Euros em receitas de ISP, mais cerca de 300 mil euros em relação a igual período do ano passado”, observou.

“O que este Governo está a fazer é a garantir que recebe o mesmo, ou mais, em imposto, mesmo que para isso as famílias e as empresas tenham de pagar mais. O PS quer que as famílias e as empresas paguem menos, mesmo que isso implique redução na receita do GRA. Enquanto o Governo continua de braços cruzados à espera de um milagre, o PS apresenta propostas soluções”, realçou Vasco Cordeiro.

ARTIGOS RELACIONADOS