home

Medidas de apoio do Governo recuperaram 56 mil desempregados e colocaram população empregada em máximo histórico

Medidas de apoio do Governo recuperaram 56 mil desempregados e colocaram população empregada em máximo histórico

“As medidas extraordinárias as medidas de apoio ao emprego e às empresas estão a revelar-se fundamentais para acelerarem a estabilização da atividade e o regresso à normalidade”, afirma a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais

Notícia publicada por:

Trabalho

A ministra reagiu assim aos dados mais recentes pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), referentes a junho último, que revelam que, face ao valor de desemprego mais elevado na pandemia de Covid-19 (agosto de 2020), já foram recuperados 56 mil desempregados, o que significa que em cada três pessoas desempregadas, duas já não estão nessa situação.

De acordo com o INE, a população empregada atingiu, em junho, um máximo histórico pelo segundo mês consecutivo. Face a fevereiro de 2020, o número de pessoas empregadas em junho deste ano é superior em quase 100 mil e é também superior em 36 mil face ao máximo histórico registado antes da pandemia, em agosto de 2019.

Os dados demonstram que os apoios extraordinários criados pelo Governo socialista para apoiar as empresas e para promover a manutenção do emprego, ao longo dos últimos 16 meses, são acertados, eficientes e têm produzido bons resultados, quer em termos de assegurar o rendimento das famílias, quer no sentido de permitir manter o potencial produtivo e o relançamento da economia.

Perante o sucesso das medidas, e face à persistência da pandemia, o Governo do PS liderado por António Costa decidiu na passada quinta-feira – recorde-se – prolongar o Apoio Extraordinário à Retoma Progressiva, garantindo, assim, a proteção do emprego e que as empresas continuam a dispor de auxílios para manterem as suas atividades e potencial produtivo.

Segurança Social já pagou mais de 2.330 ME

O conjunto de apoios criados na área da governação do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS), dirigidos às empresas e apoio ao emprego, como sejam o layoff, Apoio à Retoma ou Incentivo à Normalização da Atividade, já foram pagos, no total, 2.333 milhões de euros, sendo que cerca de metade em 2021.

O Apoio à Retoma já abrangeu um universo de 329 mil trabalhadores e 44 mil empresas, a quem foram pagos cerca de 590 milhões de euros.

Por seu lado, o ‘layoff’ simplificado abrangeu um total de 110 mil empresas e cerca de 900 mil pessoas em 2020, sendo que, este ano, já foram abrangidas 57 mil empresas e 317 mil trabalhadores. No âmbito do ‘layoff’, a Segurança Social pagou mais de 1.223 milhões de euros às empresas.

Medidas do Governo são “essenciais”

Após a divulgação dos dados do INE, a ministra do Trabalho e da Segurança Social voltou a salientar a importância dos apoios do Governo e sublinhou a queda continuada do desemprego.

“As medidas de apoio ao emprego e às empresas foram, sem dúvida, essenciais para amortecer uma subida descontrolada do desemprego e estão a revelar-se fundamentais para acelerarem a estabilização da atividade e o regresso à normalidade. Em junho atingimos o maior número de pessoas a trabalhar de sempre e o desemprego continua a diminuir todos os meses. Este esforço continua e por essa razão foi ontem [quinta-feira] prolongado o Apoio à Retoma até ao final das restrições pandémicas”, concluiu Ana Mendes Godinho.

ARTIGOS RELACIONADOS