home

António Costa assinala “surpresa” europeia com razões para crise política em Portugal

António Costa assinala “surpresa” europeia com razões para crise política em Portugal

O primeiro-ministro, António Costa, apontou em Berlim, onde se encontrou com o vencedor das eleições alemães, Olaf Scholz, e com a chanceler Angela Merkel, a surpresa geral que tem notado fora do país perante a crise política que foi gerada em Portugal.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais
António Costa e Angela Merkel

“Obviamente que está toda a gente surpreendida porque Portugal, felizmente, ganhou uma boa reputação nos últimos anos como um país estável, previsível, onde as legislaturas se cumprem”, afirmou António Costa aos jornalistas, durante a visita à capital alemã.

O primeiro-ministro almoçou, na quarta-feira, com o vencedor das eleições alemães e atual vice-chanceler, Olaf Scholz, tendo mantido, depois, um encontro com a chanceler Angela Merkel.

“Ninguém compreende como é que surge uma crise, num momento em que estamos no primeiro lugar a nível mundial na vacinação, somos dos países que estamos a recuperar mais fortemente da crise económica, como estamos a reduzir o desemprego. As pessoas têm dificuldade em perceber como há uma crise”, destacou o líder do governo português.

Nas duas reuniões estiveram em análise as relações bilaterais e a agenda europeia, nomeadamente a política da União Europeia para a recuperação social e económica, tendo António Costa reiterado a confiança dos parceiros europeus no caminho de estabilidade e cumprimento de compromissos do país.

O líder socialista aproveitou também a ocasião para testemunhar a “marca muito forte” que Angela Merkel deixa na Europa, com quem disse ter tido “muito gosto em trabalhar”.

“Partilhamos a mesma visão da Europa como comunidade de valores e de prosperidade, e o compromisso para com a transição climática e digital justa de uma Europa autónoma aberta ao mundo”, assinalou. “É uma verdadeira europeia” que “deixará muitas saudades”, completou, em agradecimento.

Conferência dos socialistas europeus em Paris

Depois da deslocação a Berlim, António Costa irá marcar presença, na sexta-feira, em Paris, onde participa na conferência do grupo dos Socialistas e Democratas (S&D) no Parlamento Europeu, juntamente com a candidata presidencial francesa Anne Hidalgo e o chefe de Governo espanhol, Pedro Sánchez.

A conferência de Paris é organizada por ocasião do lançamento político do relatório ‘A Grande Transformação’, um documento que “propõe medidas ambiciosas e inovadoras – entre 242 recomendações políticas e ações concretas – para transformar as sociedades modernas, fraturadas por crises sucessivas, em comunidades sustentáveis, mais justas e mais igualitárias”.

Além dos chefes de Governo de Portugal e Espanha e de Anne Hidalgo, atual presidente da Câmara de Paris, participarão no evento a presidente do grupo S&D, a espanhola Iratxe García Pérez, o presidente do Partido Socialista Europeu, Sergei Stanishev, e dois copresidentes do grupo de peritos que elaborou o relatório, designadamente a ministra espanhola para a Transição Ecológica, Teresa Ribera Rodríguez, e o antigo primeiro-ministro dinamarquês Poul Nyrup Rasmussen.

António Costa participará, ao final da tarde, com Hidalgo e Sánchez, numa mesa-redonda intitulada ‘A Grande Transformação: Rumo a um bem-estar sustentável para todos’, que poderá ser acompanhada, a partir das 17h20 (hora francesa), em live streaming na página de Facebook do Partido Socialista.

ARTIGOS RELACIONADOS