home

UE precisa de mais crescimento económico e mais equidade para preparar o pós-guerra

UE precisa de mais crescimento económico e mais equidade para preparar o pós-guerra

A deputada do PS Edite Estrela defendeu hoje que “a situação económica da Europa é indissociável da nova realidade geopolítica”, já que a guerra na Ucrânia tem um “elevado impacto económico, político, social e financeiro”, e sustentou que a União Europeia (UE) tem, pois, “de melhorar o seu desempenho económico e preparar-se para o pós-guerra”.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais

Notícia publicada por:

Edite Estrela

“Mais crescimento económico precisa-se, mas também de mais equidade”, frisou a socialista durante o debate preparatório do Conselho Europeu, com a participação do primeiro-ministro, não deixando de saudar o anúncio de uma “diretiva para aproximar a tributação das multinacionais nos diferentes países da UE”. “Espero que, finalmente, a ‘harmonização’ fiscal deixe de ser uma intenção de décadas e se torne realidade”, comentou.

Assinalando que “no próximo dia 24 deste mês faz um ano que a Rússia invadiu a Ucrânia”, Edite Estrela considerou que “a Europa tem estado à altura destes tempos de exigência e incerteza”, vincando que “as instituições europeias têm estado unidas na tomada de decisão e no apoio à Ucrânia”.

A deputada do PS deixou em seguida uma questão: “Que poderá acontecer se à fadiga da pandemia se somar a fadiga da guerra?”.

“Os populistas e demagogos manipulam a opinião pública, desinformam e lançam a confusão. A extrema-direita, hábil no aproveitamento da desgraça alheia e a cavalgar todo o tipo de descontentamento, não esconde arrogância e ambição”, denunciou.

Edite Estrela recordou depois as palavras da ministra espanhola dos Assuntos Económicos e da Transformação Digital, Nadia Calvino, ao ‘Diário de Notícias’, que afirmou que o “bom entendimento entre Sánchez e Costa tem sido um dos grandes motores de ação da UE”.

Agradecendo e felicitando ambos, a socialista pediu para continuarem a “puxar a União para o lado certo da história”.

ARTIGOS RELACIONADOS