home

Portugal ultrapassa seis milhões de vacinas administradas

Portugal ultrapassa seis milhões de vacinas administradas

Portugal continental ultrapassou, no último domingo, a marca das seis milhões de doses de vacinas administradas contra a Covid-19, das quais cerca de 3,8 milhões correspondem a primeiras doses e cerca de 2,2 milhões a segundas doses de vacinação completa.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais

De acordo com os dados oficiais, divulgados pelo Ministério da Saúde, 40% da população portuguesa, incluindo as Regiões Autónomas, já recebeu pelo menos uma dose da vacina e mais de 22% já tem o processo vacinal completo.

Portugal está assim cada vez mais perto de alcançar a meta definida, de ter 70% da população vacinada com pelo menos uma dose até ao mês de agosto.

No continente, a percentagem das pessoas com mais de 60 anos que já recebeu uma dose da vacina é de quase 95%, enquanto que para a faixa etária superior a 50 anos abrange já 81% dos cidadãos.

Maiores de 43 anos já podem fazer autoagendamento

Dando seguimento ao acelerar do plano de vacinação, as pessoas maiores de 43 anos de idade já podem, igualmente, fazer o pedido de marcação de toma da vacina na plataforma de autoagendamento da Direção-Geral da Saúde, estimando-se que a respetiva vacinação possa começar a ser concretizada a partir de dia 21.

Ainda de acordo com a ‘task force’ que coordena o plano de vacinação, o autoagendamento poderá abranger, ainda esta semana, todos os maiores de 40 anos. Para a semana de 20 de junho está ainda previsto começar a vacinar o grupo etário dos 30 aos 39 anos.

Certificado Digital com “alguns avanços” na segunda quinzena de junho

Ainda no que se refere à vacinação, a ministra da Saúde adiantou esta segunda-feira que Certificado Digital vai conhecer “alguns avanços” na segunda quinzena deste mês de junho, em linha com a sua entrada em vigor nos Estados-membros da União Europeia, prevista para 1 de julho próximo.

Marta Temido explicou que têm estado a ser feitos testes através dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, concretamente sobre “as regras por trás do certificado” e “da implementação”, processos que devem terminar nos próximos dias.

Como explicou a governante, o Certificado Digital permitirá “uma forma de todos termos, com maior segurança, maior facilidade e confiança”, conferindo “algum regresso à normalidade”.

ARTIGOS RELACIONADOS