home

Mais 270 médicos de família prontos a iniciar funções no SNS

Mais 270 médicos de família prontos a iniciar funções no SNS

O Governo anunciou ontem no Parlamento que mais de 270 novos médicos de família estão já prontos para iniciar funções no Serviço Nacional de Saúde (SNS). A novidade foi avançada pela secretária de Estado da Saúde, Fátima Fonseca, durante a audição à tutela em sede de comissão parlamentar.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais
Marta Temido, Saúde

A governante adiantou que o processo de escolha, no âmbito do concurso aberto a 17 de junho, foi concluído há dois dias, havendo, “neste momento, prontos para ser colocados 272 novos médicos de Medicina geral e familiar no sistema”, assinalando que estas novas contratações correspondem “a um incremento bastante expressivo da cobertura de utentes com médicos de família”.

Fátima Fonseca anunciou ainda que as vagas que ficaram por ocupar podem vir a ser preenchidas, no imediato, através dos procedimentos concursais a desenvolver a nível regional pelas administrações regionais de saúde, além do concurso de segunda época, este previsto para novembro ou dezembro.

Responder a necessidades prementes de doença aguda

Também ouvida na comissão, a ministra da Saúde, por seu lado, explicou que a contratação de clínicos sem especialidade, outro expediente para colmatar falta de médicos de família, pretende responder aos casos mais prementes de doença aguda, não contando para os rácios de cobertura.

“Não estamos a propor que estas pessoas sejam médicos de família. Mesmo que estas pessoas aceitem esse contrato, elas não serão médicos de família”, afirmou Marta Temido.

Segundo a ministra, os clínicos sem especialidade que venham a ser contratados para os cuidados de saúde primários, no âmbito desta medida, “nem sequer contarão alguma vez, em qualquer caso, para os rácios de cobertura” de médicos de família em Portugal.

Marta Temido reconheceu também que esta medida é a que “menos estimula” o Ministério da Saúde na estratégia de dar uma resposta aos utentes, mas salientou que esta é uma solução para os casos de doença aguda.

Já no que respeita à área da psicologia e na carreira de técnico superior de saúde, o executivo socialista lembrou, perante os deputados, que foi aberto em 2018 o procedimento para a admissão de 40 estagiários, para a atribuição do grau de especialista no ramo da psicologia clínica para os cuidados de saúde primários.

“Foram realizadas 1.783 entrevistas e neste momento decorre o processo de escolha dos locais de formação para que possam de facto ser incorporados no sistema”, adiantou a tutela.

Por outro lado, na área da psiquiatria, foram contratados este ano 30 profissionais para as Equipas Comunitárias de Psiquiatria e Saúde Mental, da Infância e da Adolescência.

No concurso de primeira época, para vinculação de recém-especialistas, foram abertas 72 vagas para psiquiatria e 22 vagas para psiquiatria de infância e da adolescência, ocorrendo o processo de escolhas relativamente a esta especialidade já esta sexta-feira.

ARTIGOS RELACIONADOS