home

António Costa quer afirmar “potencial transformador” da economia na próxima década

António Costa quer afirmar “potencial transformador” da economia na próxima década

O primeiro-ministro defendeu hoje, em Aveiro, a ambição de que o país aproveite a próxima década para afirmar o seu potencial transformador, elogiando a resiliência e o trabalho das empresas portuguesas.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais
António Costa

Falando na segunda edição do encontro ‘A Caminho de Hannover’, que prepara a participação portuguesa na maior feira industrial do mundo, a decorrer entre 30 de maio e 2 de junho, António Costa sublinhou que a escolha de Portugal como país parceiro do certame representa esse reconhecimento pela “excelência do trabalho” desenvolvido pelas empresas nacionais.

O líder socialista referiu que este reconhecimento explica também “grande parte dos bons números” que foram confirmados esta semana pela Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional, que reviram em alta as suas previsões para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) português, o que demonstra “a resiliência do tecido económico português perante tempos tão desafiantes”, como a pandemia de Covid-19 e a guerra na Ucrânia.

Na sua intervenção, António Costa salientou que os portugueses devem ter confiança pela forma como o sistema científico e empresarial “resistiram e têm resistido a estes tempos tão difíceis”, defendendo que a ambição coletiva do país “tem de transcender a conjuntura” que Portugal está a enfrentar.

“A nossa ambição tem de ser de conseguirmos aproveitar esta década para ser a década do grande potencial transformador da sociedade portuguesa”, vincou.

Nesse sentido, o primeiro-ministro destacou o programa das Agendas Mobilizadoras para a inovação empresarial, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), ao qual se candidataram 64 consórcios com um total de investimento previsto de 8,8 mil milhões de euros, como sendo uma “oportunidade extraordinária e verdadeiramente transformacional do tecido empresarial português e daquilo que é o perfil da economia” do país.

“Em meados de junho teremos os resultados finais do júri. Até lá, faço figas para que todos possam vencer, porque quantos mais vencerem, maior é a capacidade e o impacto transformador do nosso tecido económico que este programa das Agendas Mobilizadoras vai ter”, concretizou.

Com a iniciativa ‘A caminho de Hannover’, já com duas sessões realizadas, em Braga e Aveiro, sendo concluída no dia 24, em Sintra, o Governo pretende ouvir os empresários e destacar a importância da presença portuguesa na Hannover Messe´22, que terá como um dos lemas da edição deste ano ‘Portugal Makes Sense’.

O certame será inaugurado por António Costa no dia 30 de maio, juntamente com o seu homólogo alemão, Olaf Scholz.

ARTIGOS RELACIONADOS