home

António Costa anuncia contratação de mais 2.474 profissionais para reforçar o SNS

António Costa anuncia contratação de mais 2.474 profissionais para reforçar o SNS

O primeiro-ministro, António Costa, revelou hoje no Parlamento que, no quadro dos compromissos ao nível do Orçamento do Estado para 2021, o Governo abriu concursos para a contratação de mais 2.474 profissionais de saúde, entre os quais 1.366 enfermeiros, para o reforço permanente do Serviço Nacional de Saúde.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais

“Um despacho foi publicado hoje mesmo e, nesse quadro, está prevista a contratação de um número suficiente de enfermeiros que permite a integração nos quadros dos enfermeiros contratados a título temporário para a operação de vacinação. A condição de ser temporário é preferencial para a admissão”, afirmou António Costa, intervindo no debate bimestral sobre política geral, na Assembleia da República.

O líder do executivo sublinhou que a medida, cumprindo os acordos negociados no quadro do Orçamento do Estado, traduz o compromisso do Governo com o reforço dos recursos humanos do SNS.

 

SNS integra 2.474 profissionais

De acordo com o despacho conjunto dos ministérios da Saúde, das Finanças e da Modernização do Estado e da Administração Pública, hoje publicado, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) vai poder integrar 2.474 profissionais de saúde, na sua maioria profissionais que já estavam a trabalhar nos serviços de saúde no âmbito do combate à Covid-19.

A distribuição dos postos de trabalho pelas entidades do SNS será determinada por despacho da ministra da Saúde, e deverá ser feita preferencialmente por unidades onde existam trabalhadores recrutados ao abrigo da resposta às necessidades da pandemia.

O diploma autoriza a contratação de 165 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica de radiologia, 630 enfermeiros, 465 assistentes técnicos e 110 assistentes operacionais para o reforço e diferenciação das respostas de Cuidados de Saúde Primários.

Já para a Saúde Pública, podem ser contratados 110 enfermeiros em saúde comunitária e saúde pública e 110 técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica de saúde ambiental.

Para reforçar as respostas hospitalares em Medicina Intensiva, o despacho permite a contratação de 60 médicos para a formação especializada em Medicina Intensiva, 626 enfermeiros e 198 assistentes operacionais.

De salientar que estas 2.474 contratações para o SNS, com contrato de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado (no caso das Administrações Regionais de Saúde) ou contrato de trabalho sem termo (nas unidades hospitalares), foram já antecedidas, no início do ano, da contratação de 30 profissionais para Equipas Comunitárias de Psiquiatria e Saúde Mental da Infância e Adolescência e da contratação de 233 médicos recém-especialistas.

Além disso, prevê-se ainda a contratação dos médicos recém-especialistas que venham a concluir a especialidade na primeira época de 2021 e de outras contratações diretas que venham a revelar-se necessárias.

 

Saudação ao “trabalho incansável” dos enfermeiros

Esta quarta-feira, data em que assinala o Dia Internacional do Enfermeiro, António Costa tinha já aludido à medida de reforço dos profissionais de saúde, dirigindo também uma saudação aos profissionais de enfermagem, aos quais destacou o “trabalho incansável” durante a pandemia.

“O SNS é construído pelos seus profissionais. Por isso, é hoje publicado o despacho que prevê a contratação de mais 2.474 profissionais de saúde, entre os quais 1.366 enfermeiros. Prosseguimos a trajetória de reforço do SNS, que se revelou essencial na crise pandémica”, disse, então, António Costa.

O líder do Governo quis saudar “todos os profissionais de enfermagem” e agradecer “o empenho e dedicação com que, ao longo do último ano, têm enfrentado a pandemia”.

“Com o seu trabalho incansável, os enfermeiros foram verdadeiramente decisivos no processo de recuperação de tantos que contraíram a Covid-19 e agora na campanha de vacinação”, sublinhou António Costa.

ARTIGOS RELACIONADOS