home

PS recorda Jorge Sampaio: “Personalidade ímpar, exemplar e inspiradora no Portugal democrático”

PS recorda Jorge Sampaio: “Personalidade ímpar, exemplar e inspiradora no Portugal democrático”

A presidente do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, Ana Catarina Mendes, destacou hoje, no Parlamento, a vida do antigo Presidente da República Jorge Sampaio dedicada a “uma militância ativa pela liberdade, pela democracia e pelos direitos humanos”, considerando-o “uma personalidade ímpar, exemplar e inspiradora no Portugal democrático”.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais

Notícia publicada por:

Sessão evocativa de Jorge Sampaio, Assembleia da República

“Olhamos para Jorge Sampaio e vemos a sua inquietude serena, mas determinada, que o fez um homem extraordinário no plano cívico e político”, começou por afirmar Ana Catarina Mendes durante a sessão evocativa de Jorge Sampaio na Assembleia da República.

A líder parlamentar do PS garantiu que o exemplo de Jorge Sampaio “dignificou a política, tornando-a mais profunda e mais consequente”. E confessou: “Inspirou várias gerações de jovens, em que me incluo, e que me levou a filiar no Partido Socialista”.

Recordando a sua “coragem na luta estudantil” e a “defesa intransigente” dos presos políticos, Ana Catarina Mendes frisou que foi a “inquietude serena” que levou Jorge Sampaio a integrar o Partido Socialista, “enriquecendo-o com novas perspetivas, novas ideias e novos métodos”.

“Tenho, ao mesmo tempo, o orgulho e a humildade de, como líder parlamentar desta bancada, encontrar-me entre os que lhe sucederam, procurando honrar o seu legado no modo como se exercem estas funções que um dia foram suas: dignificando a Assembleia da República, aumentando a confiança dos cidadãos nas instituições democráticas e aperfeiçoando, sempre, a nossa democracia”, disse.

“Jorge Sampaio era a antítese do populismo”, asseverou Ana Catarina Mendes.

A presidente da bancada socialista lembrou ainda quando Jorge Sampaio se candidatou à presidência da autarquia de Lisboa, sendo a primeira vez que “um líder nacional de um grande partido assumiu a candidatura a uma Câmara Municipal”.

Foi enquanto presidente da Câmara Municipal de Lisboa que mostrou que “o poder local democrático tem que estar próximo dos verdadeiros problemas das pessoas”, tendo criado uma política de habitação que iniciou “a erradicação das barracas na cidade de Lisboa”, sublinhou a dirigente socialista.

Presidente Sampaio nunca se acomodou nem deu por satisfeito

“Foi ainda com a sua inquietude serena, mas determinada, capaz de dignificar a função de Presidente da República, sem nunca se acomodar, deslumbrar, ou dar por satisfeito”, apontou Ana Catarina Mendes, que salientou, no plano internacional, “a sua valiosa e infatigável ação em defesa da causa de Timor-Leste e dos timorenses, ainda agora enaltecida por Timor”.

“Outro marco importante dos seus mandatos foi a transferência serena e programada de Macau para a República Popular da China”, destacou a presidente da bancada do PS, que acrescentou que Jorge Sampaio demonstrou “uma posição de grande inteligência ao afirmar a sua discordância da invasão do Iraque decidida na Cimeira das Lages, mantendo a autonomia de Portugal e a defesa dos nossos interesses permanentes”.

Jorge Sampaio foi um “Presidente que recusou um país socialmente desigual, que lutou, ao mesmo tempo, pelo desenvolvimento económico e pelo progresso social”, tendo provado “que o mote ‘Um por Todos’, da sua campanha, não foi apenas um slogan, mas sim a sua maneira de estar na política”, frisou.

Ana Catarina Mendes garantiu em seguida que o Partido Socialista não esquecerá “o seu último repto para estarmos à altura das nossas responsabilidades e respondermos à emergência dos refugiados afegãos, porque a solidariedade não é facultativa, é um dever”.

Assim, “a melhor maneira de honrarmos a sua memória é cumprirmos este apelo humanitário, prosseguindo o seu caminho e a sua luta”, concluiu a presidente do Grupo Parlamentar do PS.

ARTIGOS RELACIONADOS