home

PS destaca reforço do investimento na escola pública e defende Pacto Social para Educação

PS destaca reforço do investimento na escola pública e defende Pacto Social para Educação

O deputado socialista Tiago Estêvão Martins destacou hoje a importância do investimento na educação e na escola pública para a mudança estrutural da sociedade, assinalando que a recuperação em democracia da “herança pesada do Estado novo” demonstra “como o Estado Social funciona e faz falta a Portugal”.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais

Notícia publicada por:

Tiago Estevão Martins

“São anos de investimento, de uma aposta clara de um país que sabe que tem na Educação os alicerces da sua sociedade”, afirmou o parlamentar do PS, numa intervenção no debate na generalidade da proposta do Orçamento do Estado para 2022, depois de elencar alguns dados da expansão do sistema educativo nos últimos 48 anos “numa luta contra o tempo perdido”.

“Nos últimos 30 anos recuperámos de uma taxa de abandono escolar precoce de 50% para uma taxa inferior a 6%”, apontou, lembrando que também no acesso ao ensino superior se registou, nos últimos seis anos, um aumento em 25% do número de alunos nas universidades e politécnicos.

“Esta tem sido a verdadeira mudança estrutural da nossa sociedade. E nós temos feito a nossa parte”, sustentou o deputado, fazendo notar que “desde 2015 os Orçamentos para a Educação cresceram mais de 30%” e no Orçamento para 2022 “a evolução é novamente da ordem dos 8%”.

“Em seis anos contratámos docentes, assistentes operacionais, psicólogos, intervencionámos centenas de escolas, descongelámos carreiras, reforçámos a autonomia das escolas”, recordou o coordenador do PS na comissão parlamentar de Educação e Ciência, apontando ainda que foi a governação socialista que pôs “fim aos contratos de associação desnecessários”, colocou “em marcha o processo de descentralização de competências” e fez “frente a uma pandemia”, lançando um plano de recuperação das aprendizagens.

Em contraponto aos que veem “a escola como espaço de divisões” e “um campo de batalha”, Tiago Estêvão Martins sublinha que “é lugar de encontro das diferenças” e um “espaço de comunidade”.

“É por isso que defendemos um Pacto Social para a Educação, em torno de uma visão da educação plural, aberta, democrática, mobilizadora. Começando, desde já, no combate à falta de professores”, conclui o deputado socialista, salientando que esse é o compromisso renovado neste Orçamento do Estado com o objetivo de “continuar a construir a Escola Pública, em diálogo, com os olhos num país mais justo” que seja também “um país da ciência, da cultura e do conhecimento”.

ARTIGOS RELACIONADOS