home

País mantém “corrida contra o tempo” entre alargamento da vacinação e incidência da pandemia

País mantém “corrida contra o tempo” entre alargamento da vacinação e incidência da pandemia

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, afirmou esta quinta-feira que o crescimento de novos casos de infeção de Covid-19, que era antecipado em função da predominância da variante Delta, coloca a situação do país ainda “na zona vermelha na matriz de risco” da pandemia, observando-se uma subida no número de concelhos em risco elevado e muito elevado, de 60 para 90.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais
Mariana Vieira da Silva, Conselho de Ministros

“Quando olhamos para a situação do nosso país na matriz de risco, vemos que a situação continua a degradar-se. Temos hoje no continente uma incidência [de novos casos de infeção] de 346,5 por 100 mil habitantes e um ritmo de transmissão (Rt) [do vírus] de 1,15”, adiantou a governante, na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros.

Mariana Vieira da Silva apontou, contudo, que valor do índice de transmissibilidade (Rt) é mais baixo do que o registado na semana passada, “parecendo verificar-se alguma diminuição da velocidade de crescimento” de novos casos, assegurando, também, que a resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS) está controlada, ao nível dos internamentos e dos cuidados intensivos.

“Do ponto de vista dos internamentos e dos doentes em cuidados intensivos, estando a crescer, os números crescem sempre menos do que o número de casos e a situação encontra-se controlada do ponto de vista da resposta do SNS”, afirmou.

Concelhos de maior risco aumentam para 90

De acordo com os dados atualizados de avaliação da incidência da pandemia, o número de concelhos de risco elevado e muito elevado subiu esta semana, sendo agora 90 os concelhos sujeitos a regras mais apertadas, com o dever de recolhimento entre as 23h00 e as 05h00, medidas diferenciadas nos horários do comércio e restauração e exigência de comprovativo de teste negativo ou vacinação nos alojamentos turísticos ou para permanência no interior dos restaurantes.

“Continuamos numa corrida contra o tempo entre o processo de vacinação que se vai diariamente alargando e a evolução da pandemia. A situação exige cuidados e todos sabemos o que temos de fazer”, sublinhou a ministra, reiterando a importância do processo de testagem, identificação de positivos e isolamento para garantir a quebra das cadeias de transmissão.

Aprovada venda de autotestes rápidos em supermercados

Neste sentido, anunciou a aprovação, por parte do Governo, da venda em supermercados de testes rápidos de antigénio para deteção do SARS-CoV-2, os chamados autotestes, medida que permitirá reforçar a identificação de casos positivos.

Mariana Vieira da Silva disse ainda que haverá uma reunião com especialistas no Infarmed a 27 de julho, pelo que até lá o Governo não tomará novas decisões, aguardando os resultados do encontro.

“Existindo um momento de avaliação da situação do país e de perspetivas de evolução para os próximos meses, o Governo entende que é nesse momento que deve tomar as decisões que tiver de tomar, procurando, até lá, cumprir as restrições que hoje temos, de modo a conter o crescimento da pandemia”, acentuou a ministra da Presidência.

ARTIGOS RELACIONADOS