home

Pandemia “redobrou importância” dos Espaços Cidadão

Pandemia “redobrou importância” dos Espaços Cidadão

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública realçou, em Vila Real, a abertura de mais de100 Espaços Cidadão no último ano, sublinhando que o contexto de pandemia “redobrou a importância” destes serviços de proximidade aos cidadãos.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais

Alexandra Leitão falava aos jornalistas após a inauguração do Espaço Cidadão instalado na sede da União de Freguesias de Mouçós e Lamares, no concelho de Vila Real.

“Este é um projeto totalmente ganhador, cuja importância saiu redobrada deste contexto pandémico”, afirmou a governante, adiantando que, em princípio, na próxima semana será “atingido o objetivo delineado para 2023 de abrir 755 Espaços Cidadão, espalhados por todo o país”.

Desde março do ano passado e em plena pandemia de Covid-19, abriram mais de uma centena de novos destes espaços que, como salientou Alexandra Leitão, reforçam no terreno “a proximidade” do Estado aos cidadãos, prestando um auxílio mais “inclusivo” e traduzindo uma “parceria entre a administração local e central”.

Neste momento, recorde-se, já pode ser feito o autoagendamento das vacinas, mas a população mais idosa ou aqueles que não têm acesso à Internet ou a computadores podem procurar ajuda no Espaço Cidadão. “Aqui tem novas funcionalidade como o agendamento das vacinas. Quem tem acesso ao digital facilmente o consegue fazer, mas quem não tem não consegue e, aqui, fazem esse apoio a quem precisa”, explicou a governante.

Nestes balcões são também prestados serviços como a renovação do Cartão de Cidadão (para pessoas com mais de 25 anos), pedido de cadernetas prediais e registos civis, a renovação da carta de condução e a ativação da chave móvel digital.

Depois de atingido o objetivo delineado no âmbito da estratégia de modernização do Estado e da Administração Pública 21/23, a ministra disse que se pretende não só abrir mais espaços, como implementar os espaços móveis, ou seja, carrinhas que irão circular pelas freguesias, um projeto inscrito no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

O Espaço Cidadão de Mouçós, freguesia com cerca de 4.000 habitantes, abriu em novembro e criou um posto de trabalho, assegurado pela autarquia, tendo atendido no primeiro trimestre deste ano cerca de 1.200 pessoas. Nesta junta funciona também um posto dos CTT e ali é ainda possível realizar teleconsultas, no âmbito do SNS 24 balcão.

Em Vila Real, a ministra visitou também a Loja do Cidadão, no centro na cidade, que está em fase de obras, com inauguração prevista até ao final do ano e representando um investimento de cerca de um milhão de euros.

“É um processo que trará Vila Real para o século XXI nesta área da prestação de serviços. Era um processo que decorria há, pelo menos, 20 anos”, afirmou o presidente da Câmara, o socialista Rui Santos, acrescentando que este edifício vai servir de “loja âncora” para o centro histórico da cidade.

ARTIGOS RELACIONADOS