home

Coimbra vai continuar na “linha da frente” da modernização, do conhecimento e da inovação

Coimbra vai continuar na “linha da frente” da modernização, do conhecimento e da inovação

O Secretário-geral do PS destacou ontem em Coimbra, numa ação de campanha de apoio ao autarca e recandidato socialista à presidência da Câmara, Manuel Machado, a posição privilegiada do município para estar “na linha da frente” do “grande salto na modernização do tecido económico” de Portugal.

Publicado por:

Acção socialista

Ação Socialista

Órgão Nacional de Imprensa

O “Ação Socialista” é o jornal oficial do Partido Socialista, cujo(a) diretor(a) responde perante a Comissão Nacional. Foi criado em 30 de novembro...

Ver mais
António Costa e Manuel Machado, Coimbra

Falando no emblemático Teatro Académico de Gil Vicente, António Costa evocou a “excelência académica” da cidade de Coimbra para defender que esta dimensão de conhecimento desempenha um papel central, aliado ao investimento na qualificação e na inovação, que é um dos eixos estruturantes do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), para “aumentar o potencial de crescimento” do país.

Elogiando o trabalho de Manuel Machado, o líder socialista apontou que Coimbra está na “linha da frente” deste objetivo nacional, numa altura em que o PRR começa a ser executado, reiterando o apelo ao trabalho “de mãos dadas”, entre Estado e autarquias, para conseguir cumprir a “enorme responsabilidade” que o país tem pela frente nos próximos anos.

“Temos a enorme responsabilidade de chegarmos a 2026 e dizermos à Europa, dizermos a nós próprios quando nos olhamos ao espelho, e dizer às novas gerações, ‘nós conseguimos e levámos este país mesmo para a frente e temos hoje um país mais próspero, mais justo, mais dinâmico, mais moderno, que vai fazer das próximas gerações, gerações mais felizes da sua pátria, e Portugal um país mais feliz com as novas gerações”, sustentou.

António Costa frisou que os municípios são quem está mais bem posicionado para executar o plano e salientou que as verbas em questão não são “para ser gastas pelo Governo, são para ser disponibilizados pelo Governo às autarquias locais, para que cada autarquia local possa executar a sua estratégia local”, citando, entre outros projetos previstos para cidade, a criação de uma nova maternidade, um novo sistema de mobilidade através do metro Mondego e mais e maiores investimentos para a universidade e o politécnico local.

A área da habitação, que é uma das necessidades de intervenção mais exigentes dos municípios, e para a qual o PRR destina 2.750 milhões de euros, foi também salientada pelo líder do PS como um exemplo em que as políticas e estratégias locais têm um papel determinante.

“Não é o Governo que diferencia as autarquias, são as autarquias que se diferenciam, porque há aquelas que apostam em dar resposta às necessidades de habitação das suas populações e aquelas que, infelizmente, têm outras prioridades”, afirmou.

Projeto “credível, coeso e estruturado”

O atual presidente da Câmara Municipal de Coimbra e candidato ao terceiro mandato à frente da autarquia defendeu, por seu lado, que o PS é o único partido que apresenta um projeto “credível, coeso e estruturado” às eleições de dia 26.

Manuel Machado destacou a valorização económica, social e cultural do concelho desde 2013, realçando também a qualidade de vida, o emprego, a saúde, a ação social e o combate à pobreza como indicadores que falam por si ao longo dos últimos anos e que colocam Coimbra, citando um ‘ranking’ recentemente publicado, como “a terceira melhor cidade para se viver em Portugal”.

O autarca socialista apontou, depois, alguns dos projetos para o futuro do concelho, revelando que, até 2026, Coimbra tem preparado um investimento de 60 milhões de euros na habitação, que vai criar soluções habitacionais para mais de duas mil pessoas, dando igualmente destaque à estratégia de “casar as margens do rio Mondego”, que irá prosseguir no próximo mandato com a requalificação das margens ribeirinhas.

“Esta nova relação da cidade com o rio é o resultado da maior operação de requalificação alguma vez feita na nossa zona ribeirinha, da Geria até à Portela, na qual já investimos, com o apoio do Governo e dos fundos comunitários, mais de 30 milhões de euros”, sublinhou.

Para Manuel Machado, que anunciou também a criação de um grande parque verde de lazer na margem esquerda do rio, estas intervenções vão revolucionar as margens do Mondego “para as próximas gerações”.

“Estamos aqui de alma e coração para continuar a valorizar Coimbra, que é o nosso desígnio”, afirmou o autarca e candidato socialista.

ARTIGOS RELACIONADOS