fbpx

Motoristas: PS considera “inaceitáveis” criticas de vice do PSD ao primeiro-ministro


A secretária-geral adjunta do Partido Socialista considerou hoje “inaceitáveis” as declarações de David Justino sobre a atuação do Governo quanto à greve dos motoristas e acusou o PSD de “estar de cabeça perdida” e de “recorrer ao insulto”.

As declarações de Ana Catarina Mendes à Lusa surgem na sequência das declarações na segunda-feira do vice-presidente do PSD, David Justino, na sessão de abertura da Universidade de Verão do partido, na qual acusou António Costa de interpretar um “número de ilusionista” em relação ao protesto dos motoristas.

O vice-presidente do PSD considerou que o Governo montou um circo em redor da greve dos motoristas, que se mantém, com António Costa a desempenhar vários papéis. E ao enumerar os vários papéis desempenhados por Costa no circo, comentou: “Ele volta a sair, volta a entrar e depois faz o número de ilusionista, e vou ficar por aqui porque hoje não há palhaços”.

Em declarações hoje à Lusa, Ana Catarina Mendes disse que “para o PS, não vale tudo em eleições”.

“Sobretudo em democracia, o insulto não é a melhor forma de fazermos política. Aquilo que se espera do PSD é que apresente propostas concretas para governar o país. É isso que está em discussão numas eleições”, sublinhou.

A secretária-geral adjunta do PS destacou também que o partido “sabe bem o caminho que está a trilhar, que trilhou nestes quatro anos e o caminho que quer continuar de progresso e desenvolvimento em Portugal dando melhores condições de vida às pessoas”.

“O que parece é que o PSD está de cabeça perdida e à falta de ideias, recorre ao insulto e isso não é aceitável em democracia”, concluiu.