Urgente, regras de mercado mais justas


(Artigo de Opinião escrito no Jornal de Notícias)

Robert Reich é um famoso economista e professor de políticas públicas norte-americano, foi ministro do Trabalho de Bill Clinton, tem estudado, em particular, o emprego e a desigualdade.

Reich recusa as oposições entre mercado livre, que considera um mito, e Estado, entre mais ou menos Estado. Sendo o mercado uma criação humana regulada por regras produzidas pelos estados, o que importa, segundo Reich, é a escolha entre mercados organizados para produzir riqueza e bem-estar para a maioria e mercados organizados em função dos interesses de uma minoria que se apropria do essencial da riqueza criada. No seu último livro, Reich defende por isso uma reforma profunda das leis fundamentais que constituem os mercados: leis sobre a propriedade, os contratos, os monopólios ou as falências. Uma reforma que reduza as desigualdades que tanto cresceram nas últimas décadas, em especial nos EUA, e que volte a abrir espaço ao crescimento e prosperidade das classes médias.

Regras de mercado mais justas implicariam uma distribuição mais justa da riqueza e do poder. Reich argumenta, em particular, que é necessário reduzir as assimetrias nos mercados de trabalho, reforçando o poder dos sindicatos para assim se conseguir uma distribuição mais justa da riqueza, antes ainda de qualquer política redistributiva. Não porque considere dispensáveis as políticas redistributivas mas porque entende que se a distribuição da riqueza for já muito desigual exigiremos aos estados mais do que o que eles poderão fazer no plano da redistribuição.

Na sua intervenção pública regular, seja através de livros, artigos ou blogues, seja através da participação política, como aconteceu recentemente quando apoiou até ao fim a candidatura presidencial de Bernie Sanders, Reich argumenta que o crescimento das desigualdades não só gera injustiça como abre caminho ao avanço das forças populistas da direita nacionalista. Forte opositor das políticas de Donald Trump, tem manifestado receio de que na Europa as desigualdades possam gerar consequências semelhantes às que conhecemos nos EUA.

Robert Reich vem, a convite do Partido Socialista e da Fundação Res Publica, fazer este e outros avisos à Europa. Para quem interesse pode ouvi-lo, esta quinta-feira, às 18h, no grande auditório do ISCTE-IUL, em Lisboa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.