fbpx

Deputados do PS no interior contra grandes desigualdades no país


“Podíamos fazer destas jornadas mais uma reunião entre as muitas que fazemos em Lisboa, ou até aproveitar esta época do ano com mais sol para ir para locais turísticos, trabalhando aí. Mas queremos insistir em estar no Portugal que mais precisa da atenção política e dos decisores políticos”, declarou hoje Carlos César em Bragança, numa visita à Obra Social Padre Miguel, no âmbito das Jornadas Parlamentares do PS.

O líder parlamentar socialista sublinhou que, apesar da evolução positiva dos indicadores macroeconómicos de Portugal, “o país tem ainda grandes dissonâncias e grandes desigualdades”. A responsabilidade dos deputados, explicou, “não é apenas a de apoiar as propostas do Governo e encomiar a administração. A nossa função é justamente a de, apoiando este Governo, permitir que ele seja melhor, tendo maior consciência das desigualdades e diferenciações no território nacional”.

O distrito de Bragança, “sendo o quinto maior em área territorial, é o penúltimo em densidade populacional e tem um índice de envelhecimento mais elevado de Portugal, o dobro da média nacional”, apontou Carlos César, acrescentando que “Bragança tem problemas que resultaram do enfraquecimento dos serviços públicos, designadamente no decurso do Governo PSD/CDS-PP. Nos sistemas de saúde, justiça, educação e segurança interna foram tomadas medidas que lesaram muito esta região. Não estamos ainda em condições de fazer a reversão completa desses prejuízos, mas já se sentem bons sinais ao nível da recuperação das empresas e do emprego”.

Segundo o presidente do PS, os parlamentares estão em Bragança “também para salientar que não devemos embarcar em euforias, nem promover a ocultação do que positivo tem sido feito no país. O Governo tem consciência de que os seus sucessos têm de ser continuados e duradouros, atingindo o Portugal inteiro”.

IPSS são necessárias ao sistema de apoio social

Carlos César referiu-se ainda às Instituições Privadas de Solidariedade Social (IPSS), defendendo que também cabe aos deputados do Grupo Parlamentar do PS “dizer ao Governo que deve confiar no sistema social de solidariedade desenvolvido pelas IPSS, pelas misericórdias, pelos centros paroquiais e sociais, numa lógica de contratação que deve ser reforçada, tendo sempre presente que não é ao Estado que incumbe qualquer exclusivo ou sequer prioridade na prestação de apoios pelo território nacional”.

O líder parlamentar socialista referiu-se a “um equívoco, a uma espécie de complexo de esquerda, que também passa um pouco pelo PS e às vezes pelo Governo de que as IPSS são instituições em relação às quais deve haver em primeiro lugar reserva e depois um apoio comedido”. “Ora, o que nós queremos provar nestas visitas é que o primeiro gesto em relação a estas instituições é dizer que elas são absolutamente necessárias ao sistema de proteção e de apoio social”, salientou.

Carlos César visitou a Obra Social Padre Miguel acompanhado pela secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, pelo vice-presidente da Assembleia da República Jorge Lacão, pelo líder da JS, Ivan Gonçalves, e pela deputada socialista eleita pelo círculo de Bragança Júlia Rodrigues.

Os restantes deputados, divididos em cinco grupos, visitaram os municípios de Mirandela, Vinhais, Macedo de Cavaleiros, Alfândega da Fé, Moncorvo, Mogadouro, Freixo de Espada à Cinta, Miranda do Douro e Vimioso.

Fonte Grupo Parlamentar do Partido Socialista

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.