home

ISTO É UM EDITORIAL

ISTO É UM EDITORIAL

Qual a diferença entre um editorial e um artigo de opinião? A pergunta não é retórica, não obstante qualquer aluno aspirante a jornalista ser capaz de fazer a destrinça logo nos primeiros anos do curso.

Opinião de:

ISTO É UM EDITORIAL

O editorial e o artigo de opinião (ou crónica) são ambos géneros jornalísticos informativos e opinativos. Mas, enquanto o editorial é da responsabilidade da direção de um órgão de comunicação social e exprime a opinião desse meio, o artigo de opinião refere factos que são interpretados pelo respetivo autor e da sua exclusiva responsabilidade.

Não é minha intenção dar lições de ciências da comunicação a ninguém. Sinto-me, todavia, obrigada a clarificar os conceitos e distinguir os géneros para concluir que não é aceitável que profissionais da comunicação social os confundam. Se o fazem, é deliberadamente. Foi intencional a tentativa de colar o PS à opinião independente de Simões Ilharco, ex-jornalista, não militante do partido, que livremente escolhe os assuntos, interpreta os factos e exprime os seus pontos de vista sem qualquer condicionalismo que não o do espaço.

Os mais de 100 articulistas que plasmaram a sua opinião nas 632 edições já publicadas, militantes e independentes, convidados ou espontâneos, mulheres e homens de diferentes idades, profissões e graus académicos, todos podem testemunhar que opinaram com total liberdade. E os cinco convidados, por mim desafiados a serem diretores por um dia, podem confirmar que o fizeram sem a menor restrição. Nem poderia ser de outro modo. Para quem, como eu, nasceu e cresceu em ditadura, a liberdade é um bem precioso. A liberdade de expressão é convicção e prática. Acresce que não é da minha natureza mandar recados por interposta pessoa. Sempre assumi por inteiro as minhas responsabilidades. E, quando convido alguém para minha casa, não lhe entrego um manual de procedimentos. Confio no bom senso e no bom gosto dos convidados.

Confrange-me que o culto da liberdade cause estranheza a profissionais da comunicação social. Significará isso que os jornalistas se sentem hoje mais condicionados por outros critérios que não os exclusivamente jornalísticos? Espero que não. A democracia precisa tanto de jornalistas livres e independentes como de partidos políticos abertos à pluralidade de opiniões, sem medo do contraditório e próximos das pessoas. Foi com esse espírito que foi criado o AS Digital diário. Livre e independente.