fbpx

Melhoria dos sistemas de transporte coletivo com 1,032 mil milhões de euros


Portugal prevê um investimento de 1.032 milhões de euros para projetos de melhoria dos sistemas de transporte coletivo, incluindo a expansão das redes de Metro de Lisboa e do Porto. O valor consta do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), colocado ontem em consulta pública.

Nas grandes áreas metropolitanas, o Governo avança com o investimento na expansão da rede de Metro de Lisboa – da linha Vermelha até Alcântara – com 304 milhões de euros, e na expansão da rede de Metro do Porto – entre a Casa da Música e Santo Ovídio – com 299 milhões de euros, integrando ainda, na componente de mobilidade sustentável, os projetos do metro ligeiro de superfície entre Odivelas e Loures, avaliado em 250 milhões de euros, e a Linha BRT Boavista – Império, que consiste numa nova linha de Transporte Público em Sítio Próprio, em articulação com o Metro do Porto, num investimento de 83 milhões de euros.

No âmbito da descarbonização dos transportes públicos, o Governo estima investir 96 milhões de euros, a conduzir pelo Fundo Ambiental, para promover o “lançamento de um programa de apoio à aquisição de frotas de transportes públicos limpos (rodoviários e fluviais) e respetivos postos de carregamento/abastecimento”.

“O investimento previsto – aquisição de veículos limpos (325 autocarros e quatro navios) promotor da renovação das frotas, terá um impacto relevante na promoção da utilização do transporte público, assim como na descarbonização e apoio à transição energética”, expôs o Executivo no PRR, reconhecendo que, apesar das melhorias registadas nos últimos anos, a idade média das frotas de transporte público em Portugal é superior a 15 anos e “apresenta baixa incidência de veículos ambientalmente mais sustentáveis”.

Ferrovia com 300 ME para aquisição de 12 automotoras elétricas

Quanto à aquisição de material circulante ferroviário, o PRR inclui 300 milhões de euros, investimento que será concretizado com a aquisição de material circulante ferroviário destinado a serviços interurbanos de longo curso, nomeadamente 12 automotoras elétricas.

Os seis investimentos propostos pelo Governo na componente de mobilidade sustentável “ascendem a 1.032 milhões de euros de subvenções e 300 milhões de euros de empréstimos” do Instrumento de Recuperação e Resiliência.

Inserido no pilar da transição climática, um dos três grandes eixos do PRR, a mobilidade sustentável foi considerada como área de intervenção relevante, visando projetos para a melhoria dos sistemas de transporte coletivo, promovendo o reforço e a utilização crescente do transporte público com a consequente redução da dependência do transporte individual rodoviário”.

Neste âmbito, o PRR tem ainda destacado o objetivo de descarbonização do setor dos transportes, no âmbito do compromisso assumido por Portugal de atingir a neutralidade carbónica em 2050.

O Plano de Recuperação e Resiliência de Portugal encerra três dimensões – resiliência, transição climática e transição digital – e prevê um volume financeiro total de 16.643 milhões de euros, dos quais 13.944 milhões em forma de subvenções e 2.699 milhões no modelo de empréstimo.