fbpx

Vacinação em lares arranca na próxima semana em 25 concelhos


A campanha de vacinação contra a Covid-19 vai prosseguir na próxima segunda-feira, dia 4, nos lares de idosos de 25 concelhos assinalados como de risco extremamente elevado, garantiu ontem a ministra da Saúde, Marta Temido.

Falando numa conferência de imprensa, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, a ministra da Saúde começou por relembrar que o critério atempadamente planeado e aprovado de vacinação está a ser rigorosamente executado, garantindo que depois da maioria dos profissionais de saúde terem sido já vacinados entre os dias 28 e 29 de dezembro, é agora a vez de o processo de vacinação avançar, já na próxima segunda-feira, altura em que está prevista a chegada a Portugal de mais doses, para os lares de idosos e para as unidades de cuidados continuados integrados de 25 municípios abrangidos no “mapa de risco”.

De acordo com Marta Temido, os concelhos que vão receber a vacina contra a Covid-19 serão, nesta primeira fase, 11 no Norte do país, cinco no Centro, um em Lisboa e Vale do Tejo e oito no Alentejo, sendo que na semana seguinte, a partir de dia 11 de janeiro, a vacinação “avança para os lares de idosos dos restantes concelhos”.

Perto de 17 mil profissionais de saúde vacinados

A ministra referiu ainda que vai reunir informalmente na próxima quarta-feira com os cinco hospitais que iniciaram o processo de vacinação, no passado domingo, altura em que disse esperar pode reunir toda a informação do que “correu bem e menos bem”, voltando a garantir que Portugal se “mantém no processo de compras conjuntas de vacinas da União Europeia”, em alternativa, como assinalou, “à compra direta às farmacêuticas”.

Desvalorizando o facto de cerca de uma centena de profissionais de saúde do Hospital de Viseu terem tomado a decisão de não tomar a vacina, Marta Temido recordou a este propósito que “a vacinação é facultativa”, e que também “há razões várias e pessoais para que algumas pessoas optem por não se vacinar neste momento”.

A ministra adiantou, também, que já foram administradas vacinas contra a Covid-19, em apenas dois dias, a 16.701 profissionais de saúde, referindo tratar-se de um número que “ultrapassa aquilo que teriam sido as doses que chegaram no dia 26 de dezembro”, mas que refletem já, também, ainda de acordo com Marta Temido, “as doses chegadas na segunda-feira e que começaram no dia seguinte a ser administradas”.