fbpx

“Precisamos de mais e melhor estado”


A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, afirmou que a pandemia de coronavírus veio não só realçar o papel fundamental do Estado, como acentuar a necessidade de “mais e melhor” Estado.

Na semana em que foi apresentada a nova edição do Simplex 20-21, aprofundando a aposta numa interação cada vez mais fácil do cidadão com os serviços públicos, Alexandra Leitão afirma, ao Podcast do PS ‘Política com Palavra’, que esse caminho passa pelo reforço do digital e pelo esforço contínuo de valorização da administração pública.

“Sempre defendi que o Estado que existia não era demais, como sempre defendi que não há trabalhadores da administração pública a mais. Acho que precisamos de mais e melhor Estado”, vincou.

Na entrevista, conduzida pelo jornalista Filipe Santos Costa, a ministra com a tutela da Modernização salienta que a capacidade de resposta demonstrada pela administração pública perante a crise pandémica representou “um ativo” e apontou que o aproveitamento dos fundos comunitários será “fundamental” na estratégia de investimento e valorização do Estado.

“Uma parte importante desses fundos têm de ser investidos na administração pública. Não é tirá-los da economia, mas o Estado vai ter de puxar pela retoma económica, ser o motor da retoma, e para isso precisa de investimento em digital e de investimento em pessoas”, sublinhou.

Alexandra Leitão assegurou ainda que, também no que respeita aos funcionários públicos, retirar “rendimentos às pessoas não vai ser o caminho” para enfrentar esta crise.

“O caminho da valorização [dos funcionários da administração pública] é que pode ser um pouco mais lento do que tínhamos planeado”, explicitou a ministra, assinalando que “não haverá congelamentos, nem perdas de rendimento”, embora acautelando que as atualizações e aumentos salariais terão de ser ponderados “no quadro da discussão do próximo” Orçamento do Estado.