fbpx

Presidência da UE é momento importante para afirmar a cultura portuguesa


O Governo quer aproveitar o semestre em que assumirá a presidência da União Europeia, no início de 2021, para afirmar e projetar a cultura portuguesa na Europa e no mundo. A garantia foi dada pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, destacando o trabalho de diplomacia cultural que está a ser desenvolvido, em programa conjunto, com o Ministério dos Negócios Estrangeiros.

“Este é um momento muito importante de afirmação cultural de Portugal na Europa e, através da Europa, no mundo”, disse a governante, este domingo, na cerimónia de inauguração da Casa da Cidade Criativa da Música em Leiria, no âmbito da designação atribuída a esta cidade portuguesa pela UNESCO.

Na ocasião, Graça Fonseca lançou o desafio a Leiria para garantir programação e atividades que possam depois ser aproveitadas na presidência portuguesa da União Europeia, para ajudar a “projetar a nível europeu” o que “de melhor Portugal tem para apresentar” na área cultural.

A Casa da Cidade Criativa da Música em Leiria, ontem inaugurada, é um espaço onde vai ser possível apresentar e potenciar projetos culturais, ter acesso a programas e residências artísticas no âmbito da Rede das Cidades Criativas da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), bem como encontrar parcerias e consultar documentação.

“A música é apenas um dos aspetos da criatividade ou da estratégia de uma cidade criativa, como Leiria se afirma. É uma dimensão muito importante, mas que entronca com muitas outras áreas da criatividade. As cidades e os países que colocam a criatividade no centro da sua estratégia de desenvolvimento social, económico e de coesão territorial são sempre casos de sucesso”, sublinhou a ministra da Cultura.

“As redes internacionais, neste caso da UNESCO, são algo fundamental para a cultura, para os artistas e para o território. Portugal é um país com imenso talento, com artistas com muito talento, mas precisamos de projetar para além das nossas fronteiras”, reforçou.

Cultura foi dos setores mais atingidos pelo ‘tsunami’ da pandemia

Graça Fonseca reconheceu que a “cultura foi dos setores mais atingidos” no meio do ‘tsunami’ da pandemia de Covid-19 que se abateu sobre o país, realçando que o Governo está “a tentar fazer o melhor possível para responder com medidas concretas, como aquelas que estão a ser debatidas no orçamento suplementar, para fazer face a esta situação de emergência, procurando ao mesmo tempo continuar a trabalhar e a construir medidas estruturantes para o futuro”.

“Ninguém estava preparado para uma crise que não era anunciada. Não há memória em nenhum de nós, em nenhum dos nossos avós, de alguma vez termos sido forçados ao recolher obrigatório”, afirmou a governante, sublinhando que o objetivo da tutela é preparar “melhor o setor para situações como estas”, nomeadamente, como referiu, avançando “com o estatuto do artista e a discussão das carreiras contributivas e condições laborais”.

Antes de inaugurar a Casa Cidade Criativa da Música em Leiria, Graça Fonseca visitou a incubadora de indústrias criativas Serra, na Reixida, freguesia de Cortes, em Leiria, onde vários artistas trabalham em áreas que vão desde a música às artes visuais ou ao audiovisual.

“É uma parceria feliz entre uma associação privada, entre uma empresa muito importante aqui da região, e precisamente ser algo que revela bem o que pode ser uma casa criativa e qual o impacto que uma casa, com diferentes projetos criativos, pode ter no território”, defendeu a ministra, elogiando a forma como “muitos dos criativos conseguiram reinventar-se e criar e trabalhar de forma diferente durante os “três meses difíceis” que se viveram.

Para a governante, este “hub criativo” é “um exemplo extraordinário” de um projeto criativo que é “importante do ponto de vista de desenvolvimento territorial” e que promove a projeção nacional e internacional dos artistas que o integram.

“Um dos projetos trabalha com a internacionalização da música portuguesa e os resultados que têm são muito bons, com a presença de artistas portugueses em festivais tão importantes como ‘South By Southwest’. Existe um extraordinário talento em Portugal nas diferentes regiões. Temos é que todos em conjunto trabalhar para o projetar além-fronteiras”, sublinhou.