fbpx

João Leão assume como prioridade estabilizar a economia e proteger rendimentos


O Presidente da República deu hoje posse ao novo ministro de Estado e das Finanças, João Leão, e à sua equipa, que inclui três novos secretários de Estado, numa cerimónia na Sala dos Embaixadores do Palácio de Belém, em Lisboa, a que assistiram o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, o primeiro-ministro, António Costa, e os governantes cessantes.

Após a cerimónia, o novo ministro de Estado e das Finanças, João Leão, assumiu como prioridades estabilizar a economia, com apoio às empresas e ao investimento, e proteger os rendimentos dos portugueses.

“Em primeiro lugar, o nosso ênfase tem de ser estabilizar o país, a economia, e proteger os rendimentos. Vai ser a ênfase neste ano. Sem se estabilizar e salvar as empresas e proteger os postos de trabalho não teremos uma economia em condições de crescer a partir do final do ano e a partir do próximo ano”, declarou.

Questionado pelos jornalistas sobre se o Executivo irá manter cativações, o ministro lembrou que esse instrumento nada tem de novo e sempre existiu na boa política orçamental.

“Faz parte de uma gestão rigorosa, controlada, em nome dos portugueses e de conseguir recursos para assegurar a estabilidade e a proteção dos seus rendimentos”, disse.

Sobre o cargo que agora assume, João Leão afirmou que “é um prazer e uma honra” poder servir Portugal como ministro de Estado das Finanças, “ainda para mais neste momento de grande dificuldade”, manifestando-se convicto de que, ultrapassada a pandemia de Covid-19, Portugal voltará ao “caminho do crescimento da economia e do emprego, da confiança e da sustentabilidade”.

Na recomposição da equipa das Finanças, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, sobe a Adjunto do novo ministro. Tomaram ainda posse como novos secretários de Estado, Cláudia Joaquim, com a pasta do Orçamento, João Nuno Mendes, com as Finanças, e Miguel Cruz, com o Tesouro.