fbpx

PS deixa mensagem de confiança às famílias, à comunidade escolar e ao setor da restauração


O secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, deixou uma mensagem de confiança às famílias, à comunidade escolar e ao sector da restauração, cujo empenho irá permitir passar à segunda fase do desconfinamento, a partir de 18 de maio.

“Quero deixar uma mensagem de agradecimento e confiança às famílias e à comunidade escolar pelo seu esforço que tem vindo a permitir que seja possível a abertura do ano escolar [para 11º e 12º], garantindo igualdade de oportunidades para todos”, sublinhou o dirigente no final da reunião com o Primeiro-ministro sobre a segunda fase do desconfinamento, onde esteve acompanhado pela Presidente do Grupo Parlamentar, Ana Catarina Mendes, e pela porta-voz do PS, Maria Antónia Almeida Santos.

José Luís Carneiro deixou também uma “mensagem de confiança às micro e pequenas e médias empresas ligadas à restauração, das quais dependem milhares de portugueses”, sublinhando a aprovação de um conjunto de medidas de apoio aprovadas pelo governo, o programa ADAPTAR.

Abrem esta sexta-feira, dia 15 de maio, os avisos para as candidaturas do Programa ADAPTAR, dotado de 100 milhões de euros e que visa minorar os custos acrescidos para que as micro, pequenas e médias empresas se adequem às normas e recomendações estabelecidas pelas autoridades competentes, no âmbito do plano gradual de desconfinamento.

O Secretário-geral adjunto enalteceu ainda “o esforço de todos os trabalhadores das forças de proteção civil das autarquias, bem como da defesa nacional” nesta segunda fase de desconfinamento que se prepara, assim como “uma palavra de agradecimento aos agentes económicos e associações, como AHRESP, que elaborou um manual de boas práticas, validado pela ASAE, Direção-Geral de Saúde, Secretaria de Estado do Turismo e Autoridade para as Condições do Trabalho.

O Secretário-geral adjunto do PS, em termos de saúde pública, sublinhou que Portugal pode prosseguir “o desconfinamento na sua segunda fase, dados os resultados positivos e que inspiram confiança, agora para a abertura das escolas e também dos estabelecimentos comerciais, nomeadamente no setor da restauração”.

“Com uma atitude de responsabilidade podemos encarar o futuro com esperança, embora todos saibamos bem que durante vários meses vamos ter de conviver com estas limitações e de conviver com a epidemia”, considerou.

Relativamente à situação do ministro das Finanças, Mário Centeno, na sequência do diferendo com o primeiro-ministro sobre a transferência para o Novo Banco, o secretário-geral adjunto do PS sustentou que “está esclarecida desde que foi feito um comunicado por parte do senhor primeiro-ministro”.

Segundo José Luís Carneiro, “a concentração do Governo e do senhor ministro das Finanças está como deve estar, nomeadamente no encontro do Eurogrupo” sobre a resposta europeia à pandemia de covid-19.

“Três auditorias foram realizadas à respetiva operação. E há ainda um dado que tem sido desvalorizado que é um dado mais relevante do ponto de vista do PS, é que o Orçamento do Estado para 2020 previa precisamente a realização dessa transferência financeira, aliás, no cumprimento de compromissos contratuais estabelecidos, e é em sede de Orçamento do Estado que se faz o escrutínio democrático”, acrescentou, realçando que o Orçamento “foi aprovado por uma ampla maioria”.

Questionado sobre as eleições presidenciais de 2021, o secretário-geral adjunto do PS, remeteu esse assunto para “tempo oportuno”, afirmando que essa matéria não foi tratada na reunião.