fbpx

Governo tem garantido proteção e apoios devidos durante estado de emergência


O vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS José Luís Carneiro elogiou hoje o Governo por, sete dias depois de ter sido declarado o estado de emergência, estar a “cumprir com o dever democrático” e com a palavra dada no Parlamento ao adotar “medidas proporcionais e limitadas às necessidades do país”, e considerou que o primeiro-ministro é “o intérprete da vontade nacional para vencer esta crise”.

“No cumprimento do estado de emergência, o Governo adotou medidas que, limitando algumas das liberdades individuais para efeitos de proteção coletiva, tratou de garantir que todas e todos os trabalhadores que contribuam para a produção de bens e serviços essenciais, seja a segurança, seja a solidariedade, terão a proteção e o apoio devidos do Estado para o seu exercício”, frisou o também secretário-geral adjunto do Partido Socialista durante o debate quinzenal, no Parlamento, com a presença do primeiro-ministro.

José Luís Carneiro apontou que tal acontece “com a saúde e a proteção social, com a administração pública, com os transpores e comunicações, com a administração da justiça e com as forças e serviços de segurança”.

Na comunicação que o primeiro-ministro, António Costa, fez ao país disse “que se mantinha o passeio higiénico, a ida com as crianças e com os animais de estimação caminhar ao ar livre, no cumprimento de todas as regras de segurança e saúde”, num “profundo sentido de humanidade”, assinalou.

O Secretário-geral Adjunto acrescentou: “somos um ser eminentemente social. Um pequeno espaço de liberdade é para o ser humano tão importante como respirar.”

O secretário-geral adjunto do PS destacou “as garantias dadas aos trabalhadores do setor privado em termos de rendimento presente e futuro”, que são a prova do cuidado do Executivo “com a segurança das famílias no presente e com a sua esperança no futuro”.

As empresas, que são um “suporte decisivo do emprego”, têm mais três mil milhões de euros e “a limitação do spread e das comissões bancárias relativas a essas linhas de crédito, até agora fator de preocupação para os empresários, estão garantidas”, exemplificou o dirigente socialista, que também referiu os apoios ao setor “tão importante” do agroalimentar e da Segurança Social.

“Poderíamos lembrar os mais de 4.500 portugueses que, nos pontos mais recônditos do mundo, têm tido o apoio e a proteção consular e diplomática do Estado e do Governo português, numa prova inequívoca de que ninguém fica para trás”, regozijou-se.

Por todos estes motivos, a bancada do Partido Socialista, “e seguramente muitos milhares de portugueses”, continua a apoiar as medidas que têm sido adotadas pelo Executivo português.

GPPS enaltece sentido patriótico dos profissionais de saúde

José Luís Carneiro não deixou de endereçar “uma palavra de pesar às famílias das vítimas mortais do Covid-19 e de solidariedade a todos os que, em Portugal e no mundo, combatem esta pandemia”.

O vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS enalteceu ainda “o sentido patriótico dos profissionais de saúde, que arriscam as suas vidas por todos nós nos hospitais, nos centros de saúde, nas farmácias, nos lares de idosos, no INEM, nos bombeiros, em todos os lugares onde é necessário estar um olhar atento e comprometido com aquelas e com aqueles que mais precisam”.

No dia em que se comemora o Dia Nacional do Estudante, José Luís Carneiro elogiou também “os alunos, os professores, as famílias, as escolas e as instituições de ensino superior pelo esforço e sentido de missão”.