fbpx

Escolas asseguram 5.500 refeições diárias e acolhem uma centena de alunos


As escolas indicadas como resposta “de referência” serviram uma média de 5.500 refeições diárias e acolheram cerca de uma centena de alunos, filhos de trabalhadores de serviços especiais, na primeira semana de aulas a distância para contenção da disseminação do novo coronavírus.

De acordo com dados do Ministério da Educação (ME), as cerca de 700 escolas de referência que permanecem abertas serviram uma média de 5.500 refeições diárias aos alunos mais carenciados, distribuídas por cerca de 3.500 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 800 na região Centro , 650 na região Norte, 350 no Alentejo e 250 no Algarve.

A distribuição das refeições escolares está a ser feita de formas diversas, seja através da sua recolha por alunos ou encarregados de educação ou servidas nos refeitórios escolares, “respeitando o plano de contingência implementado, de acordo com as normas emanadas pela Direção-Geral da Saúde”.

Em articulação com os serviços educativos, algumas autarquias estão também a entregar as refeições em casa dos estudantes, assegurando igualmente a sua confecção através dos serviços municipais.

Há também autarquias que estão a optar por entregar um cabaz semanal às famílias para as refeições dos alunos serem confecionadas em casa.

Os cerca de 100 alunos acolhidos nas escolas, cujos pais têm profissões consideradas essenciais, como são os casos dos profissionais de saúde e de segurança, não podendo deste modo permanecer em casa com os filhos, também estão a almoçar nos estabelecimentos de ensino.