fbpx

PS condena insultos racistas


O secretário-geral Adjunto do PS, José Luís Carneiro, anunciou o repúdio do Partido Socialista pelas “ofensas verbais graves – muitos graves – que atentam contra a dignidade de Marega, desportista e cidadão exemplar”. Referindo-se aos insultos de natureza racista de que o jogador da equipa do Futebol Clube do Porto foi alvo no estádio do o Vitória de Guimarães, José Luís Carneiro lembrou que “estes comportamentos e atitudes são atentatórios do artigo 13º da Constituição da República, que garante o princípio da igualdade entre todos os cidadãos”.

O Secretário-geral Adjunto do PS considera que “o desporto é uma linguagem universal e, como tal, é uma linguagem de diálogo intercultural e de inclusão”, acrescentando que “o expoente máximo dessa linguagem universal foi-nos concedido por aquele que é um símbolo do espírito da paz, da tolerância e do diálogo intercultural e inter-racial: Nelson Mandela”. Sublinhando que

“deve haver consequências” e que “as instituições devem atuar”, José Luís Carneiro explicou que “as atitudes, comportamentos, gestos e ofensas verbais que ocorreram no domingo naquele jogo de futebol atentam contra os valores fundamentais da Humanidade”.

O jogador de futebol Moussa Marega pediu para ser substituído ao minuto 71 do jogo da 21.ª jornada da I Liga, entre o FC Porto e o Vitória de Guimarães, na sequência dos cânticos e gritos racistas dos adeptos da formação vimaranense, numa altura do jogo em que a sua equipa vencia por 2-1, resultado com que terminaria o encontro. Os companheiros de equipa de Marega, e também jogadores do Vitória de Guimarães tentaram demovê-lo da sua atitude, mas Marega mostrou-se irredutível e decidiu abandonar o jogo.