fbpx

Vasco Cordeiro eleito primeiro vice-presidente e futuro presidente do Comité das Regiões


O presidente do Governo Regional dos Açores, o socialista Vasco Cordeiro, foi eleito em Bruxelas como primeiro vice-presidente do Comité das Regiões da União Europeia, assegurando também o exercício da futura presidência deste organismo europeu a partir de julho de 2022.

O acordo firmado entre os vários grupos políticos, entre os quais o PES e o PPE, estipula que a presidência do Comité seja rotativa nos próximos cinco anos, entre o grego Apostolos Tzitzikostas, que vai assume o cargo nos primeiros dois anos e meio, e o português Vasco Cordeiro, que o irá exercer nos dois anos e meio seguintes.

O líder socialista do Executivo açoriano, que tinha sido indicado, no início de dezembro, como o candidato do Partido Socialista Europeu (PES) à presidência deste órgão consultivo que representa cerca de 350 entidades regionais e locais da União Europeia, congratulou-se com o acordo político alcançado em Bruxelas, considerando que representa “uma vitória e uma conquista importante” para os Açores e para Portugal.

Em declarações aos jornalistas, Vasco Cordeiro salientou que a importância política e prática para os Açores é bem visível, tendo em conta a capacidade de influência do Comité das Regiões numa altura de grandes desafios para a União e para as regiões.

Desde logo, apontou, em função do próximo Quadro Financeiro Plurianual para a Política de Coesão e para a Política Agrícola Comum, assim como da Conferência Sobre o Futuro da Europa, iniciativa lançada pela Comissão Europeia, que são “matérias que interessam a toda a Europa, mas que têm uma repercussão concreta, direta e prática em cada uma das regiões e, nomeadamente, nos Açores”.

Eleição prestigia o País

A eleição de Vasco Cordeiro foi saudada pelo PS/Açores, como sendo prestigiante para a Região e para o país, destacando ser esta a primeira vez, desde a fundação do Comité das Regiões, que este organismo será presidido por um português.

Através de uma nota da Comissão Permanente, os socialistas açorianos assinalam que a eleição, para além de constituir “o reconhecimento das qualidades políticas e pessoais do Presidente do Governo dos Açores, prestigia os Açores e o País”, ocorrendo “num momento crucial”, em que a União Europeia enfrenta o desafio do pós-Brexit e em que está a ser negociado o próximo Quadro Financeiro Plurianual, “instrumento absolutamente decisivo para o sucesso da Política de Coesão, da Política Agrícola Comum, entre várias outras, que são fundamentais para as regiões europeias, e, em particular para os Açores”.

Também a Delegação do Partido Socialista no Parlamento Europeu saudou a eleição de Vasco Cordeiro, considerando que a mesma “prestigia Portugal, os Açores e as regiões ultraperiféricas e dá um forte contributo para o reforço de uma visão focada na coesão e no desenvolvimento sustentável, inspiradora de um futuro progressista da União Europeia”.

“É também o reconhecimento do excelente trabalho desenvolvido por Vasco Cordeiro como presidente do Governo dos Açores”, refere o comunicado dos eurodeputados socialistas.

O Comité das Regiões Europeu é um órgão da União Europeia composto por representantes eleitos de autoridades regionais e locais dos 27 Estados-membros e que representa cerca de 350 entidades regionais e locais da União Europeia.

A Comissão, o Conselho e o Parlamento Europeu têm de consultar o Comité das Regiões quando elaboram textos legislativos sobre matérias em que as autoridades regionais e locais tenham uma palavra a dizer, como é o caso do emprego, da política social, da coesão económica e social, dos transportes, da energia e das mudanças climáticas.