fbpx

Não há uma democracia forte sem uma classe média forte


“Democracias fortes exigem classes médias fortes, porque é disso que estamos a tratar, sem nunca esquecer os mais desfavorecidos e, assim, combatendo as desigualdades”, defendeu hoje a Presidente do Grupo Parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, numa interpelação ao Primeiro-Ministro no debate do Programa de Governo.

A líder da bancada socialista reafirmou o empenho do Grupo Parlamentar do PS para que, “em sede de concertação social, possamos ter ao final de 25 anos um outro acordo sobre a valorização dos rendimentos, sobre a valorização dos preços, sobre a valorização dos salários, porque isso é absolutamente decisivo para que haja dignidade no trabalho e para que haja uma efetiva ligação das habilitações que as pessoas têm à valorização dos seus salários”.

Ana Catarina Mendes destacou ainda a necessidade de continuar o percurso de estabilidade política iniciado há quatro anos.

“Sejamos muito claros neste novo ciclo político em Portugal. Os portugueses votaram na estabilidade política, votaram num Governo do Partido Socialista e votaram na continuação do sucesso alcançado na anterior legislatura seja nos rendimentos, seja no crescimento da economia, seja na melhoria de vida das pessoas”.