fbpx

Matos Fernandes: Governo inclui despacho aos serviços mínimos por zonas


O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, disse hoje que o Governo incluiu um despacho aos serviços mínimos conforme as zonas do país, durante a greve dos motoristas.

Matos Fernandes explicou, em conferência de imprensa, que as necessidades do mês de agosto não são idênticas àquelas do mês de março.

“Prioridades foram definidas, e o Governo olhou para o funcionamento da economia e da sociedade portuguesa, para aquilo que se passa num mês de agosto normal, no quadro de uma situação de conflito”, adiantou o ministro.

Para Matos Fernandes, é evidente que, se a greve acontecer, haverá uma perturbação das atividades económicas, assegurando que grande parte dos cidadãos poderá abastecer as viaturas.

“É inequívoco que, se houver greve, vai haver uma perturbação no conjunto das atividades económicas”, disse, sublinhado que está “convicto de que os serviços mínimos vão ser cumpridos”.

De acordo com o governante, os serviços mínimos serão cumpridos com uma ação combinada dos serviços mínimos e a Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA).

Matos Fernandes relembrou ainda que há zonas expostas a custos elevados e as consequências da greve “não podem levar à paralisia do país”.

O ministro afirmou também que o Governo não pode aceitar que alguém condicione os direitos e a liberdade dos portugueses.

“O Governo não quer condicionar a vida de ninguém, os direitos de ninguém, mas não aceita que ninguém condicione os direitos e a liberdade dos portugueses”, disse.