fbpx

Recenseamento automático de portugueses no estrangeiro «quebrou obstáculos»


O Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, referiu no Mindelo, em Cabo Verde, a importância do recenseamento automático, que elevou de 300 mil para 1,4 milhões os cidadãos recenseados no estrangeiro.
José Luís Carneiro falava durante as cerimónias do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, naquele país, onde acompanhou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o Primeiro-Ministro, António Costa.
O Secretário de Estado referiu as várias medidas implementadas pelo Governo e que contribuem para uma plena integração dos portugueses no mundo, como é o caso do recenseamento automático, que «criou uma nova vinculação cívica entre os portugueses no estrangeiro e o seu País de origem».
«Passámos de 300 mil cidadãos recenseados para 1,4 milhões de portugueses recenseados no estrangeiro» afirmou, considerando que a medida quebrou «obstáculos à igualdade», disse ainda.
José Luís Carneiro referiu ainda que, segundo dados das Nações Unidas, existem 5,7 milhões de portugueses e lusodescendentes em 178 países e por todas as regiões do mundo.
Relativamente à comunidade portuguesa em Cabo Verde, o Secretário de Estado disse que é das que «melhor se integrou», realçando também a importância dos cabo-verdianos em Portugal, onde constituem a segunda mais comunidade estrangeiro mais numerosa.
José Luís Carneiro reiterou ainda a importância já manifestada pelos chefes de Estado de Portugal e de Cabo Verde no projeto da mobilidade e referiu-se à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa como «um espaço de valores, de liberdade e de fraternidade».