fbpx

Inquérito/CGD: PS considera “indispensável” nova audição a Constâncio e a ex-vice-governador


O líder parlamentar do PS considerou hoje “indispensável que a Comissão de Inquérito à Caixa volte a questionar Vítor Constâncio, mas também o então vice-governador do Banco de Portugal Pedro Duarte Neves, face à “omissão inexplicável dos seus depoimentos”.

“O grupo parlamentar do PS entende indispensável voltar a questionar Vítor Constâncio, tal como por exemplo o então vice-governador Pedro Duarte Neves, face à omissão inexplicável dos seus depoimentos a esse respeito na Comissão de Inquérito”, referiu Carlos César

Num requerimento dirigido ao presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito, assinado pelo vice-presidente da bancada socialista João Paulo Correia, o PS refere que, “tendo em consideração o conteúdo das notícias veiculadas pela comunicação social que referem a existência de troca de informação entre o Banco de Portugal e a Caixa Geral de Depósitos”, deve ser realizada uma segunda audição com Vítor Constâncio.

Para essa audição, o PS invoca também a uma reunião do Conselho de Administração do Banco de Portugal “em que terão sido analisados os créditos concedidos a José Berardo, assim como a circunstância de estes factos não estarem refletidos no atual acervo documental da comissão de inquérito”.

Além da realização de uma segunda audição com o seu antigo secretário-geral e antigo ministro das Finanças, a bancada socialista solicita também junto do Banco de Portugal vários documentos.

Neste contexto, o PS quer ter acesso às “informações prestadas pela Caixa Geral de Depósitos ao Banco de Portugal, em que sejam mencionadas operações de crédito, ou alterações de posição societária, relativamente a outras instituições bancárias, no período de 2000 a 2015”.

O PS quer ainda analisar as atas das reuniões do Conselho de Administração do Banco de Portugal “em que tais informações tenham, de alguma forma, sido mencionadas”.