fbpx

Governo garante apoio “até ao limite” a polo industrial de Ponte de Lima


O ministro do Planeamento, Nelson de Souza garantiu hoje apoio de financiamento “até ao limite do possível” ao polo industrial do granito das Pedras Finas de Ponte de Lima, um investimento global de 5,5 milhões de euros.

“A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN) dará o apoio para ainda propiciar meios adicionais, até ao limite possível quer em matéria de assegurar novas fontes de financiamento, através do subsídio, quer acedendo a empréstimos bancários em condições excecionais”, afirmou o governante durante a cerimónia de lançamento da primeira pedra do novo industrial.

Previsto há 12 anos, o polo industrial abrange uma área de 22 hectares, destinado à indústria transformadora de granito das Pedras Finas e tem prazo de execução de um ano.

O governante disse que aquele parque constitui um “bom exemplo da estratégia do Governo para o crescimento do país” e referiu que “quem concebeu aquela solução merece o reconhecimento e a felicitação do Governo”

Dirigindo aos empresários afirmou que o novo polo representa uma “oportunidade que têm a responsabilidade de aproveitar, organizando-se coletivamente para uma melhor gestão do espaço e partilha dos serviços que vai disponibilizar”.

“Quem não trabalhar em rede vai ficar de fora da competição num futuro breve”, alertou.

Localizado no monte de Antelas, próximo das áreas de extração, o novo polo industrial terá 28 lotes, sendo que 24 se destinam a lotes industriais, cujas áreas variam entre os 900 metros quadrados e os 20.000 metros quadrados.

Dos 5,5 milhões de euros de investimento previsto, mais 4,3 milhões de euros destinam-se à construção do polo industrial, sendo que a aquisição de terrenos, terraplanagens e elaboração do projeto representam cerca de 1,2 milhões de euros. Do montante global, 1,5 milhões de euros são financiamento do Portugal 2020.

O ministro do Planeamento, referiu que o programa Portugal 2020 conta com 20 mil milhões de euros de apoio aprovados até abril, o equivalente a 80% dos recursos programados.

O governante disse que em todo o país estão contratados 18 mil projetos de micro, pequenas, médias e grandes empresas e Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).

Referiu que com a concretização daqueles projetos o país “terá um tecido social mais coeso e uma economia mais competitiva”.

O presidente da Câmara de Ponte de Lima, Victor Mendes (CDS-PP) disse tratar-se de um dia “histórico” para a freguesia de Arcozelo, onde ficará situado, e para Ponte de Lima e pediu reforço do financiamento dos fundos comunitários.

“Fazemos pela primeira vez o lançamento da primeira pedra de um projeto. Há projetos e projetos. Este é um grande projeto, alguma vez feito em Ponte de Lima”, sublinhou.

Segundo Victor Mendes a transformação de pedra, que emprega 500 pessoas, é um dos setores mais exportadores do concelho, produzindo por ano 571 mil toneladas de granito.

O autarca admitiu a “enorme dificuldade” enfrentada na concretização daquele espaço empresarial, apontando “12 anos de perseverança, luta e esforço que valeu a pena”.

Victor Mendes prestou “homenagem” aos empresários do setor por “acreditarem que o projeto iria passar do sonho à realidade”.

Referiu também que “foi necessário um espírito de comunhão, com as instituições locais, nomeadamente a Junta de Freguesia de Arcozelo, e a administração central”.

“Este é um projeto estratégico de eficiência coletiva, de serviços partilhados e gestão conjunta”, frisou, destacando a “enorme qualidade” do projeto, que implicou estudos de impacto ambiental, que “obrigam ao respeito de um conjunto de condicionantes”.

“É único polo no país destinado à transformação de pedra. Não existe outro, noutro ponto do país dotado de um eco centro, Estação de Tratamento de Águas Residuais Industriais (ETARI), ar comprimido, espaços verdes, entre outros”, especificou.