fbpx

País está mais bem preparado para combater incêndios


O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, afirmou que o País está hoje mais bem preparado para combater os incêndios, graças ao que foi feito ao nível da prevenção.
«A limpeza da floresta é essencial e apelo a todos que concluam esses trabalhos nos próximos dias», disse o Ministro à margem das comemorações do Dia do Guarda Florestal, em Vila Real. Eduardo Cabrita referiu também que dentro de poucos dias 16 aviões estarão a reforçar o dispositivo de combate a incêndios.
«Temos hoje a maior capacidade de resposta aérea que alguma vez existiu nesta altura do ano» porque no ano passado o Governo decidiu, atempadamente, deixar de falar em época de incêndios e passar ter uma estrutura flexível», disse o Ministro, acrescentando que foram feitas «contratações de meios que estão disponíveis todo o ano».
Eduardo Cabrita afirmou também que atualmente está disponível o maior dispositivo terrestre que o País alguma vez teve e acrescentou que, a partir do próximo sábado, o efetivo será elevado para cerca de 9000 operacionais.
«Ainda esta manhã tivemos um incêndio no distrito de Beja que foi imediatamente apagado com intervenção de quatro meios aéreos que foram concentrados neste espaço», disse ainda.
O Ministro afirmou também que Portugal dispõe de «uma grande coordenação de meios» e «meios reforçados» e lembrou que, em 2018, se verificou uma redução de 68% de área ardida, relativamente à média dos últimos 10 anos.
Alterações climáticas
Para responder às atuais indicações climáticas, Eduardo Cabrita referiu que o Governo vai prolongar o estado de alerta e reforçou o apelo à prevenção.
«A certeza que vamos ter é que as alterações climáticas determinam um risco acrescido e que os comportamentos preventivos, a prevenção de todos os riscos no comportamento dos cidadãos, é a melhor garantia da nossa segurança coletiva», disse ainda.
Questionado sobre as previsões para um verão de temperaturas muito elevadas, Eduardo Cabrita afirmou que o sistema está preparado mas lembrou que a responsabilidade é de todos.
Reforço da guarda florestal

Eduardo Cabrita disse também, durante as comemorações, que o corpo da guarda florestal vai ser reforçado com mais 200 elementos na próxima primavera, elevando assim o número de operacionais para cerca de 500. O processo de admissão está agora a decorrer e os elementos irão ser colocados nos distritos de Bragança, Beja, Castelo Branco, Santarém e Portalegre.    Numa altura em que se assinala o «renascimento da guarda florestal», o Ministro relembrou que esta força não contava com a admissão de novos elementos desde 2006, tendo sido reduzidos para cerca de metade na última década.
Segundo o estatuto da carreira dos guardas florestais, estes profissionais integram a missão da GNR, através do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente enquanto polícia ambiental, exercendo funções nas áreas florestal, de caça e pesca.
Uma das funções dos guardas florestais, no âmbito florestal, passa pela participação na defesa da floresta contra fogos, em especial na investigação das causas de incêndios florestais.