fbpx

António Costa elogia bombeiros como “a espinha dorsal” do sistema de proteção civil


O primeiro-ministro fez hoje um balanço do que foi feito na prevenção e combate aos incêndios florestais na componente de profissionalização que o Estado assegura, tendo destacado os bombeiros voluntários como a “espinha dorsal” do sistema de proteção civil.

 Na abertura do debate quinzenal na Assembleia da República, o chefe do Governo, António Costa, adiantou que a nova lei orgânica da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil permitirá integrar nos quadros “256 elementos da Força Especial de Bombeiros que, com a duplicação dos elementos GIPS da GNR, reforçam a componente de profissionalização que o Estado assegura  no dispositivo de combate a incêndios”.

“Mas este esforço do Estado em nada desvaloriza o papel inestimável dos corpos de bombeiros que serão sempre a espinha dorsal do nosso sistema de proteção civil”, disse o primeiro-ministro.

António Costa escolheu como tema da sua intervenção no debate de hoje a “estratégia e gestão integrada de fogos rurais”.

Negociações entre Estado e SIRESP concluídas nas proximas horas

O primeiro-ministro anunciou hoje que as negociações entre o Estado e o SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal) serão concluídas das próximas horas, admitindo que “há um questão financeira” que divide as partes.

“A sociedade [SIRESP] tem uma questão financeira com o Estado, que temos vindo a negociar no estrito limite da legalidade, não podemos pagar algo que não tem o visto do Tribunal de Contas. Não lhe quero dizer neste momento em que ponto é que as negociações chegarão a bom porto, mas estou convencido de que nas próximas horas teremos uma conclusão das negociações”, afirmou António Costa, durante o debate quinzenal na Assembleia da República, em Lisboa.

Sublinhando que o seu desejo é que as negociações “se concluam a contento de ambas as partes”, o chefe do executivo assegurou que, “em qualquer caso, serão concluídas nas próximas horas”.