fbpx

71,3 milhões de euros para modernização da linha ferroviária do Douro


O Primeiro-Ministro, António Costa, vai amanhã, dia 07 de janeiro, visitar as obras de modernização da linha do Douro, junto à estação de Caíde. Também o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, irá marcar presença.

Segundo informação do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas “a intervenção no troço Caíde-Marco de Canaveses-Régua tem como objetivo a modernização da Linha do Douro, entre Caíde e Régua, que se traduz na renovação de uma infraestrutura existente, subdividida em dois troços, somando uma extensão de 57,8 quilómetros”.

Um investimento com um custo base calculado em 71,3 milhões de euros, sendo que o valor comparticipado por fundos comunitários será de 49,2 milhões de euros, enquanto que o apoio financeiro público nacional será de 23,2 milhões de euros.

“As intervenções visam melhorar significativamente os padrões de segurança e os custos da operação, assim como aumentar a eficiência energética e a gestão da capacidade e exploração da infraestrutura ferroviária”, refere a mesma nota do Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.

O ministério refere ainda que “a conclusão desta obra permitirá atingir o objetivo de concretização da extensão do serviço suburbano, que atualmente termina em Caíde, até à estação de Marco de Canaveses, potenciando a competitividade e eficiência do serviço com benefício direto para cerca de 500 mil passageiros”.

“Permitirá ainda assegurar a tração elétrica até à estação de Peso da Régua e desta forma potenciar o serviço regional da linha do Douro entre Marco e Régua através da criação do serviço intercidades até à Régua, garantindo a melhoria da qualidade e segurança ao dispor das populações servidas pela Linha do Douro”, refere o mesmo documento.

Também amanhã, 07 de janeiro, na estação ferroviária de Marco de Canaveses, António Costa e Pedro Marques vão participar na sessão de lançamento do concurso público internacional para a aquisição de 22 comboios destinados ao serviço regional da CP, um investimento avaliado em cerca de 168 milhões de euros.