fbpx

Ministro da Educação diz que Governo esteve sempre de boa-fé nas negociações


O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, afirma que o Governo esteve sempre de boa-fé e que não encontrou flexibilidade para negociar

O membro do Governo garante que o Governo voltará “atempadamente” às negociações com os sindicatos dos professores, com “boa-fé negocial” e “transigência”, adiantando que a “sustentabilidade financeira” estará sempre nas prioridades a ter em conta. “Voltaremos às negociações atempadamente e, nesse sentido, o Governo voltará às negociações de forma responsável, sempre com transparência, e com a boa-fé negocial que demonstrou durante toda esta legislatura, acreditando também que a concertação é importante”, disse o ministro da Educação durante uma visita às obras de requalificação da EB 2,3/S Dra. Judite Andrade, em Sardoal, no distrito de Santarém.

“O Governo também voltará às negociações tendo em conta, sempre, a sustentabilidade financeira, que é algo que também tem estado sempre nas nossas prioridades”, disse Tiago Brandão Rodrigues. Para o ministro da Educação, o Governo “negoceia com as organizações sindicais e, nesse sentido, irá sempre para as negociações com boa-fé negocial, com transparência, com abertura e transigência, como foi sempre”.

O ministro da Educação referiu que “o Governo foi transigente e avançou relativamente ao que era a sua proposta inicial” e lembrou que “o Orçamento do Estado de 2018 não contemplava nenhum tempo” de recuperação de serviço e “também as equidades das outras carreiras da função pública avançaram para dois anos, nove meses e 18 dias”.

“Nesse sentido fomos também confrontados com a intransigência dos sindicatos e o resto da história é conhecida de todos”, concluiu.