fbpx

Grande parte das casas destruídas pelos fogos já foram reconstruídas


O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, afirmou esta quarta-feira, em Vouzela, que a maioria das casas destruídas nos incêndios de outubro de 2017 estão reconstruídas e que as que faltam ficam concluídas até à Páscoa.

Pedro Marques entregou, esta manhã, as chaves de 21 habitações reconstruídas ao abrigo do Programa de Apoio à Reconstrução de Habitação Permanente em Vouzela e Tondela.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas disse que a entrega das chaves representa “mais um passo importante” para o processo de reconstrução das casas afetadas pelos fogos.

“Por um lado, nós temos a sensação de dever cumprido por cada vez que uma casa é concluída e entregue às famílias, mas por outro lado há sempre aquela inquietação de quem quer ver todo este trabalho concluído”, afirmou o membro do Governo, adiantando que todas as casas fiquem entregues na altura da Páscoa caso não haja dificuldades no processo.

O Estado aprovou um total de 796 candidaturas. Destas, 455 habitações já se encontram concluídas. Esta manhã, o Governo entregou mais 21 casas, nos concelhos de Vouzela e Tondela, no distrito de Viseu.

“Durante a primavera estarão as casas todas concluídas essa é a nossa expectativa”, afirmou.

Sobre as queixas, de quem lamenta o atraso nas intervenções, o governante lembrou que “as casas não se constroem com um estalar de dedos”. “Por muito que nós queiramos e queremos evidentemente que os empreiteiros andem depressa esse é sempre o objetivo, mas toda a gente sabe que uma casa demora uns nove meses, a um ano a construir”, sublinhou.