Portugal fez progressos mas ainda tem lutas a travar na igualdade de género


Portugal já fez progressos na questão dos direitos das mulheres, mas ainda tem “algumas lutas a travar”, admitiu a Secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, após um evento com a primeira-ministra britânica, Theresa May, em Londres.

Ana Catarina Mendes foi uma das convidadas para uma receção de boas-vindas na residência oficial de May, em Downing Street, na véspera da primeira conferência mundial de mulheres parlamentares, que terá lugar no parlamento britânico.

“Foi uma receção de encorajamento para que se faça esta rede de mulheres parlamentares. Eu estou a representar Portugal e tenho a responsabilidade de falar dos progressos que foram feitos, nomeadamente a lei da paridade, que permite às mulheres preencher mais lugares públicos”, afirmou.

Porém, também reconheceu que Portugal “ainda tem algumas lutas a travar”, tendo em conta que May é já a segunda primeira-ministra britânica, enquanto que Portugal só teve Maria de Lourdes Pintassilgo à frente de um governo em Portugal, por poucos meses, em 1979.

Ana Catarina Mendes vai fazer parte do grupo de trabalho sobre o poder económico, no qual pretende “destacar aquilo que Portugal tem vindo a fazer para diminuir as assimetrias entre homens e mulheres”, como a recente aprovação do aumento de 33,3 para 40% da quota de representação dos dois sexos nos órgãos de poder político e nos cargos dirigentes da administração pública.