Eleições em Angola


O Partido Socialista acompanhou com atenção o desenrolar do processo eleitoral em Angola. Há a registar o clima pacífico e de serenidade em que decorreu a votação, registando-se uma forte afluência às urnas (com substancial redução da abstenção em comparação com as anteriores eleições), um elevado rigor e competência no desenrolar das operações de voto, uma generalizada participação de delegados dos partidos políticos na fiscalização do funcionamento das assembleias de voto, bem como a forte presença de observadores internacionais (que não registaram nenhum obstáculo à sua missão no terreno).

Independentemente dos resultados em concreto, cujo apuramento geral ainda não terminou, a forma como estas eleições decorreram representa um avanço na consolidação do processo democrático em Angola. Sendo certo que, em qualquer país, a democracia não começa nem se esgota nos atos eleitorais, o certo é que estas eleições são um incentivo ao contínuo aprofundamento da cidadania, da participação democrática plural e do acesso cada vez mais equitativo aos meios de expressão das diversas correntes de opinião naquele país irmão.
Como sempre, o PS, encontra-se empenhado em aprofundar as relações de amizade e cooperação entre Portugal e Angola, convicto de que este momento eleitoral será mais um passo importante para o fortalecimento e consolidação desse caminho, e felicita o MPLA que, pese embora a ausência de resultados finais, os dados já apurados indicam será o vencedor destas eleições.