fbpx

Governo apoiado pela esquerda trouxe estabilidade política, social e laboral


O líder parlamentar do PS afirmou ontem que o acordo governativo entre os partidos de esquerda permitiu dar “sentido à esperança de muitos portugueses”, transformando “a vida de muitas famílias”.

Carlos César considerou que os acordos que foram celebrados há um ano entre PS, BE, PCP e PEV “demonstraram que, apesar das divergências que evidentemente marcam estes partidos que estiveram neles envolvidos, há sempre possibilidades e um apelo à convergência quando estão em causa interesses nacionais”.

O presidente da bancada socialista criticou “o estado de degradação a que a direita conduziu o país, de degradação social e de falta de perspetivas económicas”. Ora, os acordos entre os partidos da esquerda “trouxeram estabilidade política, trouxeram estabilidade social, trouxeram estabilidade laboral e têm todas as condições para proporcionar que esta legislatura se desenvolva com normalidade e com sucesso”, garantiu.

Carlos César frisou que “as famílias viram o seu rendimento acrescido”, “sentiram outra proteção em termos dos seus direitos sociais”, e que “as prestações sociais, em geral, foram reforçadas”.

“No plano económico há dados recentes que consolidam a ideia de um crescimento sustentado, de uma melhoria do clima de confiança, do clima económico, de um desemprego que atingiu os 10,5%, o que já não acontecia desde há 8 anos”, sublinhou, acrescentando que Portugal terá um défice “de novo abaixo dos 3%, livrando o país dos processos por défice excessivo”.

Para o também presidente do Partido Socialista, estes acordos evidenciam que “o interesse nacional, quando devidamente interpretado pelas forças políticas, é capaz de as fazer convergir, colocando em segundo plano as suas divergências”.