fbpx

Nota sobre a indicação de António Guterres para SG da ONU


O Partido Socialista saúda vivamente António Guterres pela sua indicação, por aclamação do Conselho de Segurança, para ser o novo secretário-geral da Organização das Nações Unidas, expressando o júbilo e a grande emoção dos socialistas portugueses por este momento histórico e tão marcante para todos nós.

Esta eleição de António Guterres corresponde, além do mais, ao mais participado, transparente e democrático processo de sempre na escolha do secretário-geral da ONU, o que só acentua as suas extraordinárias qualidades pessoais e políticas para o desempenho do cargo, largamente demonstradas ao longo de todo este processo, ultrapassando todas as fases com brilhantismo que o consolidaram como a personalidade mais indicada para o desempenho de tão importante função. A sua escolha, que mereceu a aclamação dos 15 membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas, abre assim uma nova era de esperança e confiança numa instituição essencial na prossecução do ideal da Paz e do desenvolvimento da Humanidade.

Neste momento é devida, também, uma palavra ao Presidente da República, ao Governo – em particular ao primeiro-ministro e ao ministro dos Negócios Estrangeiros – e à diplomacia de Portugal, cujo trabalho foi da maior importância para a obtenção de um resultado que tanto prestigia o nosso país. Palavra que se estende a todos os partidos políticos e a todos os outros setores do nosso país que souberam unir-se em torno de uma candidatura abrangente e verdadeiramente nacional. Este resultado volta a demonstrar a capacidade de Portugal e dos portugueses quando se unem em torno de uma causa comum.

O Partido Socialista reafirma o profundo orgulho que sempre sentiu no seu militante nº 127 e antigo secretário-geral, que tem uma longa e profícua história política que faz parte do património político e histórico do PS. António Guterres está ligado a momentos absolutamente marcantes da história do nosso Partido e de Portugal, bastando recordar o seu papel crucial, como primeiro-ministro, na batalha diplomática internacional que levou à independência da República Democrática de Timor Leste.

A confirmação de António Guterres como secretário-geral da ONU é motivo de profunda satisfação para todos os portugueses, regozijo obviamente compartilhado pelo Partido Socialista.

O PS formula votos dos maiores sucessos a António Guterres no desempenho das funções que, certamente, depois da confirmação em breve da sua eleição pela Assembleia Geral das Nações Unidas, iniciará no dia 1 de Janeiro de 2017.

Lisboa, 6 outubro 2016