fbpx

Se algo terminar mais cedo será a liderança de Passos Coelho


Para o presidente do PS “o fiasco da liderança de Passos Coelho no PSD é o grande acontecimento político nacional” e que se algo terminar mais cedo será aquela liderança e não a atual experiência governativa.

“Eu acho que reconhecidamente na sociedade política portuguesa há uma apreciação que é razoavelmente consensual, é a de que o malogro e o fiasco da liderança do dr. Passos Coelho no PSD é o grande acontecimento político nacional”, disse Carlos César.

O também presidente do grupo parlamentar socialista na Assembleia da República adiantou que, “se algo terminar mais cedo, será a liderança do dr. Passos Coelho e não esta experiência de Governo que tem mostrado, ao longo deste seu primeiro ano de exercício de mandato, uma grande consistência e, sobretudo, uma estabilidade, várias vezes demonstrada”.

A este propósito apontou “a aprovação de documentos que foram estruturantes e essenciais, desde o Plano Nacional de Reformas ao próprio Programa de Estabilidade”, mas também o “Orçamento para 2016 e também ao Orçamento para 2017”.

“A grande diferença é que este Orçamento para 2017 é resultado de uma ponderação coletiva e plural, e tem no seu debate prévio uma transparência que antes não existia”, referiu, declarando-se convicto de que “do diálogo que tem sido frutuoso entre os partidos (BE, PCP e PEV) que apoiam este Governo sairá um orçamento aprovado e com qualidade para responder aos desafios que o país necessita”.