Promover o empreendedorismo é tarefa prioritária e transversal a todas as políticas do Governo


Foram esta manhã apresentadas em Lisboa, pelo primeiro-ministro e pelo ministro da Economia, 19 novas medidas do programa Startup Portugal, com destaque para a abertura de um centro de inovação para o turismo.

In Acção Socialista Digital

Para o primeiro-ministro, António Costa, que falava na abertura dos trabalhos, a inovação tem de ser encarada como um “motor de desenvolvimento” e uma “prioridade transversal” de todas as políticas do Governo, contribuindo de forma efetiva para uma “mudança da imagem do país”, como outras atividades têm já vindo a fazer, lembrando a este propósito o caso da “seleção nacional de futebol ou do turismo”, sendo que esta última área, como enalteceu o primeiro-ministro, tem de forma muito especial contribuído fortemente para a “boa recuperação dos básicos das nossas finanças públicas”.

Segundo António Costa, o facto de hoje o “mundo saber que Portugal é um país com recursos humanos altamente qualificados e com empresas inovadoras com uma dinâmica de grande criatividade” assente no ecossistema de ‘startups’ tem sido “essencial, como garantiu, para atrair um conjunto de investimentos que “por alguma razão não vinham para Portugal e que agora vem”.

Para o primeiro-ministro e para o ministro da Economia, as 19 novas medidas, hoje anunciadas, do Programa Startup Portugal surgem no seguimento de outras já existentes e que pretendem, tal como as anteriores já aprovadas, “promover o empreendedorismo” em sectores como o turismo, comércio e restauração e a “introdução de novidades” como a Startup Voucher, o programa Momentum e Vale Incubação.

Como assinalou o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, na sua intervenção esta manha na apresentação do programa Startup Portugal, as novidades destas novas medidas residem no facto de se destinarem a apoiar o desenvolvimento de projetos em fase de ideia, incluindo pela primeira vez “projetos candidatos da região de Lisboa”, sendo que a outra novidade, como também salientou o governante, é que a regularidade de abertura destes avisos “será de duas vezes por ano”.

Dissecando um pouco estas novas iniciativas, o ministro lembrou que em relação ao programa Momentum, programa que se destina a apoiar recém-graduados e finalistas do ensino superior que “tenham beneficiado de bolsas de ação social durante o curso e que no final pretendam desenvolver uma ideia de negócio”, a novidade, como referiu, é que “o número de projetos apoiados aumentará significativamente”, estimando Manuel Caldeira Cabral a abertura de 50 vagas por ano.

No que respeita ao apoio a empresas com menos de um ano na área do empreendedorismo, programa Vale Incubação, a novidade hoje anunciada pelo Governo é que passam a ser “aceites as candidaturas em contínuo” e aumentado o valor do apoio para 7500 euros, exceto, para Lisboa, onde o limite é de 5 mil euros.

Quanto à abertura de um novo centro de inovação no turismo, com uma “academia digital” e uma incubadora especializada no sector, o objetivo desta missão, como referiu Manuel Caldeira Cabral, é “promover a inovação no sector do turismo”, apoiando o desenvolvimento de novas ideias de negócio, a “experimentação de projetos e a capacitação das empresas no domínio da inovação e da economia digital”.

Ainda segundo o governante, no centro de inovação será criada a “Digital Tourism Academy, com um programa de capacitação das empresas para o digital” e uma incubadora para o turismo, para a além da criação do ‘Startup Center’, uma plataforma digital de “mapeamento das startups e das incubadoras nacionais”, que vai permitir incluir “informação centralizada sobre todo o tipo de apoios disponíveis para o ecossistema”, como também o ‘pitch voucher’, uma senha de acesso atribuída às startups.

Recorde-se que a Estratégia Nacional para o Empreendedorismo – Startup Portugal foi lançada em 2016 como uma das prioridades do Governo para fomentar a competitividade da economia, criação de emprego e atração de investimento.