“Foi o PS que conseguiu introduzir ambição, determinação e vontade política de mudar o rumo das coisas em Portugal”


Ana Catarina Mendes, falando em Santa Marta de Penaguião numa das sessões que compõem o ciclo de iniciativas que visam simultaneamente prestar contas e ouvir a sociedade e os militantes socialistas antes do debate do estado da nação para que o Governo e o Grupo Parlamentar “tenham o eco do que se passa em cada uma das regiões do país” , afirmou que foi o PS que “teve a ousadia, a inteligência e a ambição de romper os muros” que impossibilitavam uma solução de governo à esquerda e que foi com o Governo do PS “que melhorámos a vida das pessoas”.

(Audio disponível AQUI)

A Secretária-geral adjunta do PS, que esteve numa iniciativa no distrito de Vila Real que reuniu mais de uma centena de militantes em Santa Marta de Penaguião, recordou que quando este governo iniciou funções o país se encontrava “deprimido” fruto de quatro anos e meio “de uma governação de direita do CDS e do PSD” e que este foi o resultado de uma aliança negativa entre as forças de direita e o PCP, o BE e o PEV quando derrubaram o anterior governo do PS.

Estas alianças “fizeram com que durante uma legislatura de quatro anos e meio Pedro Passos Coelho pudesse ter imprimido em Portugal o maior empobrecimento de que há memória desde os tempos da ditadura”, afirmou.

Ainda segundo Ana Catarina Mendes, e tendo em conta o resultado das últimas eleições e o estado em que o país se encontrava, face à possibilidade de mais quatro anos de governo da direita, declarou que foi com o PS de António Costa que houve “a ousadia, a inteligência e a ambição” de conseguir “romper os muros que estavam erguidos entre a esquerda (mais à esquerda do PS) e o PS” e encontrar “uma solução de Governo e que hoje podemos dizer, quase três anos depois, que foi positiva para os portugueses”.

A dirigente socialista enalteceu também a posição dos atuais parceiros aos quais “agradece” o facto de se juntaram a esta solução governativa deixando “de ser apenas partidos de protesto para serem partidos que estão na corresponsabilização do governo e da governação do país”.

Olhando para o presente, a Secretária-geral adjunta do PS referiu também que “como Socialistas devemos ter orgulho na governação que estamos a fazer” mas que “devemos ter responsabilidade naquilo que ainda está por fazer”.

Relembrando que o combate “é à direita”, que “o nosso compromisso é com os portugueses” e que sabe “quais são as diferenças com o PCP, com o BE e com o PEV”, Ana Catarina Mendes afirmou que foi o Governo do PS que melhorou “a vida das pessoas”.

“Foi o PS que conseguiu introduzir ambição, determinação e vontade política de mudar o rumo das coisas em Portugal”

Sabendo que o PCP, o BE e o PEV são parceiros leais e que o serão até ao final, recordou ainda que quem “disputa as próximas eleições para ganhar [Europeias, Legislativas e Reginais na Madeira] é o Partido Socialista”