“Situação de refugiados e imigrantes no Brasil é grave”


O problema existe e “é um problema grave” descreve Francisco Assis depois de visitar vários refúgios criados pelas autoridades brasileiras em Boa Vista e Pacaraima, de forma a acolher os 40 mil venezuelanos que atravessaram a fronteira para viver no Brasil nos últimos dois anos.

O deputado português lidera uma missão do Parlamento Europeu ao Brasil que está a averiguar a situação humanitária dos venezuelanos. “O problema pode tornar-se mais grave, mas o Brasil compreendeu a dimensão do problema e está a responder de forma muita articulada com as Nações Unidas. Espero que possa haver uma evolução da situação”, acrescentou Francisco Assis.

Os venezuelanos que atravessaram a fronteira brasileira para fugirem da crise económica e social no seu país “não representam um desafio humanitário tão grave do ponto de vista numérico”, mas a situação preocupa porque “a Venezuela faz fronteira com um dos estados mais pobres do Brasil, que é Roraima”.

De acordo com as autoridades brasileiras o número de pedidos de refúgio no Brasil de cidadãos oriundos da Venezuela cresceu 922%, em dois anos.

O deputado anunciou ainda que a União Europeia irá disponibilizar 5 milhões de euros de ajuda humanitária para o Brasil e Colômbia. “Já foi tomada uma decisão e será enviado muito em breve uma verba de 2,5 milhões de euros para ajudar as operações no Brasil. É uma verba total de 5 milhões de euros que será enviada metade aqui para o Brasil e metade para a Colômbia”, disse.

Nos próximos dias uma delegação de autoridades brasileiras deslocar-se-á à Europa. “Haverá uma viagem até a Alemanha e a Itália para tomarem contacto com experiências que foram tomadas no âmbito europeu em relação a questões de refugiados e imigrantes”, explica Francisco Assis.